Superinformado Notícias
Facebook
Twitter
Instagram

Cadillac chega em 2015 com sedã ATS e crossover SRX, diz diretor


segunda-feira, 20/janeiro/2014
Cadillac chega em 2015 com sedã ATS e crossover SRX, diz diretor

 O diretor de Mercados Emergentes da Cadillac, Jim Vurpillat, confirmou ao G1 durante o Salão de Detroit que a marca está num processo de identificação dos produtos a serem comercializados, construção de rede de concessionárias e valores de investimentos para, enfim, desembarcar no Brasil.

“Temos muito trabalho a fazer, mas não estamos tão longe”, afirmou Vurpillat, que prevê para 2015 a estreia da marca de luxo da General Motors no país.

Embora o brasileiro tenha absorvido do norte-americano o gosto por SUVs, o Escalade não será o carro-chefe da Cadillac no Brasil, mas sim o sedã ATS.

“É o maior mercado no Brasil (referindo-se aos sedãs, no segmento premium), maior mercado no mundo e também para nós, nos EUA. O ATS será muito importante para a linha, assim como o SRX terá grande importância”, explicou a principal autoridade quando o assunto é onde e quando a Cadillac será comercializada.

Para Vurpillat, até mesmo o CTS (sedã acima do ATS) será fundamental para o mercado brasileiro, não tanto em termos de volume, mas sim para estabelecer a marca e transmitir os valores da Cadillac: “É importante dizer que quando vamos a um mercado novo, queremos levar o máximo de nosso portfólio”.

Quanto à rede de concessionários, os executivos da Cadillac ainda não definiram onde estarão as primeiras lojas, ou quantas serão – até agora, sabe-se apenas que serão poucos pontos de venda e separados das lojas da Chevrolet.

Há pelo menos um ano e meio executivos da General Motors falam publicamente sobre uma possível ida da Cadillac para o Brasil, e agora a estreia da marca de luxo no mercado nacional é tratada como caminho sem volta. “Que vem, vem. Só não sabemos ao certo quando”, afirmou o vice-presidente da empresa no Brasil, Marcos Munhoz, em Detroit.

Quem são ATS, CTS e SRX

A chegada da Cadillac no mercado brasileiro coincide com o melhor momento da marca nos últimos anos, com direito a renovação de linha e alcance global – o que significa visual e dirigibilidade mais próximos do gosto europeu do que do norte-americano.

O foco no ATS justifica-se não só por ser ele uma espécie de embaixador da Cadillac na nova fase global da marca, mas também por ser o carro de entrada da fabricante.

Com 4,64 m de comprimento e 2,78 m de entre-eixos, o ATS tem a mira apontada para o Audi A4, o novo Mercedes Classe C, que em 2015 começa a ser produzido no Brasil, e BMW Série 3. Lá fora, o sedã oferece motores 2.5 (202 cv), 2.0 turbo (272 cv) e 3.6 V6 (321 cv), com câmbio automático de seis marchas e tração traseira ou integral, dependendo da versão. Em 2013, o modelo foi eleito o carro do ano nos EUA.

Já o CTS, rival de Mercedes Classe E e BMW Série 5, tem 4,97 m de comprimento e 2,91 m de entre-eixos e mantém o 2.0 turbo de 272 cv do ATS nas versões de entrada, enquanto o topo de linha leva um 3.6 V6 biturbo, de 420 cv. O SRX é equipado com um 3.6 V6 de 308 cv, e seus 4,83 m de comprimento e 1,91 m de largura o colocam próximo do Chevrolet Captiva.

O ATS começa em US$ 33.065 (aproximadamente R$ 77,5 mil) nos EUA, enquanto o SRX custa US$ 37.505 (R$ 87,9 mil) e o CTS, US$ 45.100 (R$ 105,7 mil).

g1


Compartilhar
Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Google Plus

Leia Também
Prêmios de loterias não resgatados somam R$ 326 milhões em 2017

Avalanche isola hotel e pousada nos Alpes italianos

White Martins abre inscrições para programa de estágio

Globocop cai na orla da Zona Sul do Recife e deixa dois mortos


Lula irá a Porto Alegre nesta terça-feira, diz Gleisi Hoffmann

Lula irá a Porto Alegre nesta terça-feira, diz Gleisi Hoffmann


Sisu 2018 vai abrir inscrições à 0h desta terça, diz MEC

Sisu 2018 vai abrir inscrições à 0h desta terça, diz MEC


Decreto autoriza Nubank a virar banco

Decreto autoriza Nubank a virar banco


PF diz que uso de algemas nos pés e nas mãos de Cabral foi para garantir a segurança do próprio preso, dos policiais e de terceiros

PF diz que uso de algemas nos pés e nas mãos de Cabral foi para garantir a segurança do próprio preso, dos policiais e de terceiros