Superinformado Notícias
Facebook
Twitter
Instagram

Defesa de Lula pede que interrogatório em processo da Lava Jato seja presencial

Nesta ação, ex-presidente é acusado de receber um terreno e um apartamento como propina de empreiteiras


quarta-feira, 26/julho/2017
Defesa de Lula pede que interrogatório em processo da Lava Jato seja presencial

Os advogados de Luiz Inácio Lula da Silva pediram nesta quarta-feira (26) que o interrogatório do ex-presidente, no processo que apura suspeitas em relação a um terreno em São Paulo e um apartamento em São Bernardo do Campo, seja presencial e não por videoconferência, como havia sugerido o juiz Sérgio Moro.

O ex-presidente responde pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, e o interrogatório está marcado para o dia 13 de setembro.

Nesta ação penal, o Ministério Público Federal (MPF) acusa o ex-presidente de receber como propina um terreno onde seria construída a nova sede do Instituto Lula em São Paulo e um imóvel vizinho ao apartamento do petista no ABC paulista.

De acordo com a força-tarefa da Lava Jato, esses imóveis foram comprados pela Odebrecht em troca de contratos adquiridos pela empresa na Petrobras. O valor da propina, segundo os procuradores, se aproxima dos R$ 13 milhões.

Lula nega as acusações, e o Grupo Odebrecht tem afirmado que tem colaborado com as investigações. Instituto Lula afirmou que “nunca teve outra sede a não ser o sobrado onde funciona até hoje, adquirido em 1990 pelo Instituto de Pesquisas e Estudos do Trabalhador (IPET)”.

Ao marcar o interrogatório, Moro levantou a possibilidade da oitiva para ocorrer a distância para evitar gastos públicos. Para o interrogatório do ex-presidente na ação envolvendo o tríplex do Guarujá, a Polícia Militar (PM) informou ter gasto R$ 110 mil no esquema de segurança.

Lula foi condenado a 9 anos e seis meses por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ele pode recorrer da sentença em liberdade.

Em síntese, a defesa afirma que o interrogatório presencial é um direito do réu. Para os advogados, a tese de que o depoimento resultaria em gastos desnecessários com segurança não se sustenta, já que o ex-presidente prestou depoimentos em outras cidades, sem a necessidade de esquemas especiais.

Os advogados de Lula também sustentam, com base em uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que a percepção do juiz acerca do depoimento, em um interrogatório presencial, não se compara à videoconferência.

g1


Compartilhar
Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Google Plus

Leia Também
Dolores O’Riordan, cantora do Cranberries, morre aos 46 anos

Jovem morta por ‘inveja’ fez post xingando suspeita: ‘Despeitada’

Após três anos de queda, venda de ônibus e caminhões tem alta de 5%

Mega-Sena, três apostas dividem R$ 12 milhões


Preços da gasolina e do diesel sobem hoje nas refinarias

Preços da gasolina e do diesel sobem hoje nas refinarias


“Como estava solteiro, esse dinheiro de auxílio moradia usava pra comer gente.”, diz Bolsonaro

“Como estava solteiro, esse dinheiro de auxílio moradia usava pra comer gente.”, diz Bolsonaro


S&P rebaixa nota de crédito do Brasil

S&P rebaixa nota de crédito do Brasil


Suzane Richthofen tem parecer favorável para cumprir resto da pena em liberdade

Suzane Richthofen tem parecer favorável para cumprir resto da pena em liberdade