Superinformado Notícias
Facebook
Twitter
Instagram

Dirigir com farol baixo apagado gera 12 mil multas em 4 dias

A lei teve origem em um projeto apresentado pelo deputado federal Rubens Bueno (PPS-PR).


terça-feira, 12/julho/2016
Dirigir com farol baixo apagado gera 12 mil multas em 4 dias

Cerca de três mil motoristas foram multados por dia, ao dirigir em rodovias federais com o farol baixo apagado durante o dia, entre a última sexta-feira (8) e segunda-feira (11), totalizando cerca de 12 mil multas, de acordo com dados divulgados pela Polícia Rodoviária Federal, nesta terça-feira (12).

A lei que torna obrigatório o uso dos faróis ligados durante o dia entrou em vigor na última sexta (8). O número médio de multas é preliminar, já que as infrações têm um prazo de até cinco dias para serem lançadas no sistema e são fechadas após 30 dias.

O condutor que desrespeitar a lei está sujeito a ter quatro pontos registrados na carteira e a aplicação de uma multa de R$ 85,13, que em novembro passa a ser R$ 130,16. Diferente do farolete, farol de milha, farol de neblina ou lanterna, o farol baixo é aquele usado normalmente durante a noite para iluminar a via sem ofuscar o motorista que vem no sentido contrário. O condutor que usar qualquer outra opção sem acionar o farol baixo também estará sujeito à multa.

A lei teve origem em um projeto apresentado pelo deputado federal Rubens Bueno (PPS-PR). De acordo com o parlamentar, depois que a obrigatoriedade do farol aceso durante o dia foi adotada nas rodovias dos Estados Unidos, o número de acidentes frontais diminuiu em 5% e o número de outros acidentes, como atropelamentos e acidentes com bicicletas, reduziu em 12%. Na Argentina, os estudos mostram que o número de acidentes diminuiu 28%.

Em 2014, 43.780 pessoas morreram em acidentes de trânsito no Brasil, de acordo com o Sistema de Informação de Mortalidade do Ministério da Saúde. Em 2015, o Sistema Único de Saúde (SUS) registrou 132.756 internações em decorrência de acidentes de trânsito. Nas estradas federais, foram 122 mil acidentes e 6.859 mortes no ano passado, segundo a PRF.

Desde 1998, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) já recomendava o uso do farol com a justificativa de que o sistema de iluminação é elemento de segurança dos veículos e que algumas cores de carros dificultam a sua visualização mesmo em boas condições de luminosidade.

Para a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a medida vai aumentar a segurança dos motorista, tendo em vista que o farol não serve apenas para melhorar a visibilidade do condutor, mas também faz com que ele seja visto por outros motoristas e pedestres.

ParanaPortal


Compartilhar
Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Google Plus

Leia Também
Dolores O’Riordan, cantora do Cranberries, morre aos 46 anos

Jovem morta por ‘inveja’ fez post xingando suspeita: ‘Despeitada’

Após três anos de queda, venda de ônibus e caminhões tem alta de 5%

Mega-Sena, três apostas dividem R$ 12 milhões


Preços da gasolina e do diesel sobem hoje nas refinarias

Preços da gasolina e do diesel sobem hoje nas refinarias


“Como estava solteiro, esse dinheiro de auxílio moradia usava pra comer gente.”, diz Bolsonaro

“Como estava solteiro, esse dinheiro de auxílio moradia usava pra comer gente.”, diz Bolsonaro


S&P rebaixa nota de crédito do Brasil

S&P rebaixa nota de crédito do Brasil


Suzane Richthofen tem parecer favorável para cumprir resto da pena em liberdade

Suzane Richthofen tem parecer favorável para cumprir resto da pena em liberdade