Superinformado Notícias
Facebook
Twitter
Instagram

Dólar sobe e fecha a R$ 4,166, novo recorde desde criação do real, em 1994

O recorde anterior tinha sido em 23 de setembro, a R$ 4,146.


quinta-feira, 21/janeiro/2016
Dólar sobe e fecha a R$ 4,166, novo recorde desde criação do real, em 1994

O dólar comercial teve a terceira alta seguida nesta quinta-feira (21) e fechou com valorização de 1,47%, a R$ 4,166 na venda. É o maior valor de fechamento desde a criação do Plano Real, em 1994. O recorde anterior tinha sido em 23 de setembro, a R$ 4,146.

Na véspera, o dólar havia subido 1,24%.

Em corretoras de São Paulo, o dólar turismo chegou a ser vendido a R$ 4,64 e o euro, a R$ 5,04.

Na véspera, o Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central (BC), decidiu manter a taxa básica de juros (Selic) em 14,25% ao ano. Foi a primeira reunião do ano, e a quarta seguida em que a taxa foi mantida no mesmo nível.

O BC estava em um dilema entre subir os juros para tentar segurar a inflação ou mantê-los, para não atrapalhar ainda mais a recuperação da economia brasileira.

Além de piorar as perspectivas para a entrada de dólares no Brasil, a decisão aumentou as incertezas nos mercados locais, que até o início da semana apostavam em alta de 0,5 ponto percentual.

“(A manutenção da Selic) é um baque na credibilidade do BC. É o pior dos mundos: o mercado questiona a autonomia do BC e as expectativas de inflação pioram”, disse João Paulo de Gracia Correa, superintendente regional de câmbio da corretora SLW, à agência de notícias Reuters.

Contexto internacional

Nos mercados externos, a instabilidade dos preços do petróleo mantinha o quadro de cautela que predomina neste início de ano. Mas a decisão da China de injetar recursos no mercado reduzia o pessimismo dos investidores.

Atuações do BC

O Banco Central fez nesta manhã mais um leilão de rolagem dos swaps cambiais (equivalentes à venda futura de dólares) que vencem em 1º de fevereiro, vendendo a oferta total de até 11,6 mil contratos.

Até o momento, o BC já rolou o equivalente a US$ 7,891 bilhões, ou cerca de 76% do lote total, que corresponde a US$ 10,431 bilhões.

Esses leilões servem para adiar os vencimentos de contratos que foram vendidos no passado.


Compartilhar
Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Google Plus

Leia Também
Assembleia paulista aprova lei que facilita sujar nome de devedor

Black Friday: veja os principais problemas dos últimos anos e listas de empresas mais reclamadas

Anthony Garotinho e Rosinha Matheus são presos

Mega-Sena pode pagar R$ 50 milhões nesta quarta


Operários acham suástica gigante na Alemanha

Operários acham suástica gigante na Alemanha


Unicamp aprova cotas étnico-raciais no vestibular 2019

Unicamp aprova cotas étnico-raciais no vestibular 2019


TRF4 nega recurso a Dirceu em decisão condenatória de processo da Lava Jato

TRF4 nega recurso a Dirceu em decisão condenatória de processo da Lava Jato


Mulher morta a tiros pelo marido fez BO por agressão uma semana antes do crime

Mulher morta a tiros pelo marido fez BO por agressão uma semana antes do crime