Superinformado Notícias
Facebook
Twitter
Instagram

Estudantes do DF lançam aplicativo que mapeia pés de frutas públicos

Plataforma permite marcar locais onde há frutas e dizer se espaço é público.


terça-feira, 29/dezembro/2015
Estudantes do DF lançam aplicativo que mapeia pés de frutas públicos

Um grupo de estudantes de Brasília criou um aplicativo que permite mapear pomares em lugares públicos. Desde o lançamento, no fim de novembro, o Fruit Map foi baixado 420 vezes. Por enquanto, o app está disponível apenas para aparelhos com sistema IOS e pode ser instalado gratuitamente.

“Nosso principal objetivo é reaproximar as pessoas da natureza nas grandes cidades. Se há um pé de manga do seu lado, sem agrotóxico, por que comprar no supermercado?”, diz o idealizador do projeto, Vinícius Magalhães.

A plataforma permite que as pessoas sinalizem onde há frutas, se a propriedade é pública ou privada e se o acesso é fácil, médio ou difícil. “É um aplicativo colaborativo, ou seja, precisamos da participação das pessoas para funcionar”, afirma Magalhães.

Aos 20 anos, o estudante de ciências ambientais  diz que o local com mais “pinos” sinalizando os pomares pelo Fruit Map é o Plano Piloto, em Brasília. Ele afirma que há pessoas em São Paulo, Belo Horizonte e Campina Grande que já utilizam o aplicativo.

O “catálogo” tem mais de 50 frutas até o momento. “As frutas que mais aparecem no mapa são manga e jaca. Tem surgido pessoas perguntando por pés de amora”, conta o estudante. De acordo com o Fruit Map, moradores de Brasília podem encontrar pés de amora na 110 Sul e na 204 Sul.

“Eu sempre tive o hábito de colher frutas pela UnB, já conheci todos os pomares da universidade”, afirma Magalhães. O jovem conta que a ideia surgiu a partir da vontade dele e do amigo Adarley Grando, estudante de ciência da computação, de 22 anos, de mapear os pés de fruta disponíveis em áreas públicas. Ele descobriu que não havia nada que mostrasse de forma sistemática as frutas da capital.

Após conversas entre eles, a conclusão foi de “que um aplicativo poderia ser uma forma interativa de fazer esse mapeamento”. Em seguida, a dupla convidou o último integrante do grupo para ajudar na programação: o estudante de Tecnologia da Informação, Fábio Rezende.

A programação do aplicativo ficou sob a responsabilidade de Grando e Rezende. Magalhães se ocupou do design e da divulgação. Eles afirma que pretendem expandir o catálogo de frutas para 104 e apresentar uma ferramenta de sazonalidade de cada item. Outra intenção deles é disponibilizar o app para sistema Android.

 

g1


Compartilhar
Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Google Plus

Leia Também
Prêmios de loterias não resgatados somam R$ 326 milhões em 2017

Avalanche isola hotel e pousada nos Alpes italianos

White Martins abre inscrições para programa de estágio

Globocop cai na orla da Zona Sul do Recife e deixa dois mortos


Lula irá a Porto Alegre nesta terça-feira, diz Gleisi Hoffmann

Lula irá a Porto Alegre nesta terça-feira, diz Gleisi Hoffmann


Sisu 2018 vai abrir inscrições à 0h desta terça, diz MEC

Sisu 2018 vai abrir inscrições à 0h desta terça, diz MEC


Decreto autoriza Nubank a virar banco

Decreto autoriza Nubank a virar banco


PF diz que uso de algemas nos pés e nas mãos de Cabral foi para garantir a segurança do próprio preso, dos policiais e de terceiros

PF diz que uso de algemas nos pés e nas mãos de Cabral foi para garantir a segurança do próprio preso, dos policiais e de terceiros