Superinformado Notícias
Facebook
Twitter
Instagram

Estudo explica ligação entre dieta gordurosa e maior risco de câncer

Em experimento, cientista identificou molécula responsável pela interação.


quarta-feira, 02/março/2016
Estudo explica ligação entre dieta gordurosa e maior risco de câncer

Um grupo de cientistas realizando experimentos com camundongos conseguiu elucidar o mecanismo biológico que faz com que alimentos gordurosos aumentem o risco de o intestino desenvolver câncer.

Em um novo estudo os pesquisadores mostraram que o consumo de gordura faz o intestino produzir mais células-tronco — células versáteis responsáveis por regenerar a parede intestinal, que sofre desgastes constante.

Células-tronco são “indiferenciadas” e capazes de se tornar outros tipos de tecido no organismo, uma qualidade que, por outro lado, também as coloca em maior risco de produzir tumores. Daí surge a ligação entre a gordura e o câncer.

A descoberta foi estabelecida em experimento que comparou roedores alimentados com muita gordura a outros mantidos sob dieta balanceada.

“Uma dieta altamente gordurosa aumenta o número e a proliferação de células-tronco intestinais, que podem ser parcialmente responsáveis pelo aumento no número de tumores intestinais”, escrevem os pesquisadores em estudo na revista “Nature”. O trabalho foi liderado por Semir Beyaz, do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts).

Molécula-alvo
No experimento, os cientistas também conseguiram identificar uma molécula específica — uma proteína chamada PPAR-Delta — que é produzida em maior número sob a presença de gordura no intestino. Essa substância estimula uma produtividade maior de células-tronco no intestino.

Essa proteína é uma ativadora de trechos de DNA que induzem nas células o comportamento para regeneração do revestimento do intestino — e consequente produção de células tronco. A descoberta de sua implicação pode levar a aplicações como terapias para prevenir o câncer.

“Mais pesquisas são necessárias para determinar se intervenções alimentares ou farmacológicas alvejando as células-tronco intestinais poderiam manter saudável a função intestinal e reduzir a incidência de tumores”, escreve Pere Puigserver, biólogo da Universidade Harvard, comentando a pesquisa de Beyaz.

 Fonte: Bem Estar

Compartilhar
Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Google Plus

Leia Também
Preso por estupros mostrava fotos com famosos e carros de luxo para atrair mulheres, diz vítima

Nota do Enem é aceita para ingresso em 27 universidades de Portugal

Aposentada completa 100 anos e diz que segredo para vida longa é a ‘cervejinha’

Israel descobre parte oculta do Muro das Lamentações


Após cobrança por bagagem, preço das passagens aéreas sobe no país

Após cobrança por bagagem, preço das passagens aéreas sobe no país


Grupo Pão de Açúcar deve converter mais 9 lojas Extra em Assaí

Grupo Pão de Açúcar deve converter mais 9 lojas Extra em Assaí


Restituição do Imposto de Renda dá R$ 2,8 bi a 2,3 milhões de contribuintes

Restituição do Imposto de Renda dá R$ 2,8 bi a 2,3 milhões de contribuintes


Apostador do ES fatura prêmio de R$ 5,8 milhões na Mega-Sena

Apostador do ES fatura prêmio de R$ 5,8 milhões na Mega-Sena