Superinformado Notícias
Facebook
Twitter
Instagram

Jorge Picciani, presidente da Alerj, é levado para depor na sede da PF, e filho é preso em Minas Gerais

Ação prendeu filho dele, Felipe Picciani, o empresário Jacob Barata Filho


terça-feira, 14/novembro/2017
Jorge Picciani, presidente da Alerj, é levado para depor na sede da PF, e filho é preso em Minas Gerais

O deputado Jorge Picciani (PMDB), presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), chegou ao Aeroporto Santos Dumont, no Centro do Rio, por volta das 8h desta terça-feira (14), e foi levado por agentes para prestar depoimento na sede da Polícia Federal (PF).

Picciani é alvo da Operação Cadeia Velha, que também prendeu o filho dele, Felipe Picciani, que tinha acabado de deixar o pai no aeroporto de Uberlândia, em Minas Gerais, no início desta manhã.

Foram presos ainda na mesma operação o empresário Jacob Barata Filho e o ex-presidente da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor) Lélis Teixeira.

Jorge Picciani é suspeito de receber propina da Fetranspor, em um esquema de corrupção no setor que envolveria políticos. Ele já tinha sido levado para prestar depoimento à PF em março, na Operação Quinto do Ouro, que prendeu 5 dos 7 conselheiros do Tribunal de Contas do Rio (TCE-RJ).

A Operação Cadeia Velha, que mira a cúpula da Alerj, e é um desdobramento da Lava Jato e foi desencadeada a partir das investigações da Operação Ponto Final.

Segundo a PF, as empresas de ônibus colocavam dinheiro em uma “caixinha”, destinada ao pagamento de propina a políticos para aprovar leis que beneficiariam o setor. A informação chegou ao Ministério Público Federal (MPF) com a delação premiada do doleiro Álvaro José Novis.

De acordo com a GloboNews, a operação foi antecipada por causa da iminente indicação de um dos investigados, Edson Albertassi (PMDB), para o TCE-RJ. A nomeação de Albertassi foi suspensa pela Justiça.

Além de Picciani, a Justiça determinou a condução coercitiva do deputado Paulo Melo, que chegou por volta das 10h na sede da PF para prestar depoimento.

Também são cumpridos 35 mandados de busca e apreensão nesta terça-feira. Entre os alvos estão o gabinete de Jorge Picciani na Alerj e a fazenda onde fica a empresa Agrobilara, que pertence à família Picciani.

Felipe comanda o negócio, que tem como sócios o pai, Jorge, e os irmãos Leonardo Picciani, ministro do Esporte, e Rafael Picciani, deputado estadual.

A Agrobilara já foi citada em investigações da Lava Jato por supostas atividades ilícitas na delação premiada de Jonas Lopes, ex-presidente do TCE-RJ. Segundo a delação, a compra de gado foi usada para lavar dinheiro de propina.

Em Volta Redonda, a PF fez buscas na casa de Albertassi, onde foram apreendidos documentos, e em uma uma emissora de rádio que pertence ao parlamentar. Em Saquarema, os agentes cumpriram mandatos na casa e no escritório do deputado Paulo Melo.

g1


Compartilhar
Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Google Plus

Leia Também
Dolores O’Riordan, cantora do Cranberries, morre aos 46 anos

Jovem morta por ‘inveja’ fez post xingando suspeita: ‘Despeitada’

Após três anos de queda, venda de ônibus e caminhões tem alta de 5%

Mega-Sena, três apostas dividem R$ 12 milhões


Preços da gasolina e do diesel sobem hoje nas refinarias

Preços da gasolina e do diesel sobem hoje nas refinarias


“Como estava solteiro, esse dinheiro de auxílio moradia usava pra comer gente.”, diz Bolsonaro

“Como estava solteiro, esse dinheiro de auxílio moradia usava pra comer gente.”, diz Bolsonaro


S&P rebaixa nota de crédito do Brasil

S&P rebaixa nota de crédito do Brasil


Suzane Richthofen tem parecer favorável para cumprir resto da pena em liberdade

Suzane Richthofen tem parecer favorável para cumprir resto da pena em liberdade