Superinformado Notícias
Facebook
Twitter
Instagram

Juiz do DF reavalia decisão e suspende acordo de leniência da J&F

Vallisney de Souza validou acordo na semana passada


segunda-feira, 11/setembro/2017
Juiz do DF reavalia decisão e suspende acordo de leniência da J&F

O juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, suspendeu nesta segunda-feira (11) o acordo de leniência firmado entre o grupo J&F e o Ministério Público Federal.

Vallisney validou o acordo de leniência na semana passada, mas condicionou a validação a uma decisão do Supremo Tribunal Federal sobre as delações dos executivos do grupo.

No fim de semana, o ministro do STF Luiz Edson Fachin determinou a suspensão provisória de parte dos benefícios previstos na colaboração premiada, atendendo a um pedido do Ministério Público Federal.

Nesta segunda, o juiz, então, reavaliou o caso e decidiu suspender o acordo para que a leniência não produza efeitos até uma decisão final do STF sobre o caso.

O magistrado considerou que os fatos novos sobre as delações de executivos da J&F exigiram a reavaliação do acordo de leniência.

No acordo, a J&F havia acertado o pagamento de multa de R$ 10,3 bilhões em 25 anos em troca de não ser alvo de ações do Ministério Público.

Entenda o caso

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, anunciou na semana passada a revisão do acordo de delação de executivos da J&F. O objetivo era apurar se os delatores omitiram informações.

Janot disse que a medida foi tomada em razão de novo áudio entregue pelos próprios delatores cujo conteúdo era “gravíssimo”.

Joesley Batista, um dos donos da J&F, e Ricardo Saud, executivo da empresa, foram presos nesta semana e os benefícios das delações deles, provisoriamente suspensos.

g1


Compartilhar
Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Google Plus

Leia Também
Prefeito de Petrópolis, pede desculpa e diz que vai revogar lei do Dia do Servidor ‘Bonito Esteticamente’

Demora em associar ruído a submarino que desapareceu causa polêmica na Argentina

Anatel começa a bloquear celular pirata a partir de maio de 2018

Parceiro de Alceu Valença, cantor e compositor Tito Lívio morre aos 60 anos, em Olinda


Estudo aponta contaminação por cocaína no mar do litoral de SP

Estudo aponta contaminação por cocaína no mar do litoral de SP


Mega-Sena, ninguém acerta e prêmio acumula em R$ 60 mi

Mega-Sena, ninguém acerta e prêmio acumula em R$ 60 mi


Assembleia paulista aprova lei que facilita sujar nome de devedor

Assembleia paulista aprova lei que facilita sujar nome de devedor


Black Friday: veja os principais problemas dos últimos anos e listas de empresas mais reclamadas

Black Friday: veja os principais problemas dos últimos anos e listas de empresas mais reclamadas