Superinformado Notícias
Facebook
Twitter
Instagram

Justiça determina bloqueio de R$ 800 milhões das contas de Joesley

Ação popular acusa dono da J&F de usar informação privilegiada para comprar cerca de US$ 1 bilhão às vésperas da divulgação da gravação do diálogo com Temer.


quinta-feira, 01/junho/2017
Justiça determina bloqueio de R$ 800 milhões das contas de Joesley

Justiça Federal determinou o bloqueio de R$ 800 milhões das contas de Joesley Batista, dono da J&F, controladora da JBS, em análise premilinar de ação popular que acusa o grupo de usar informação privilegiada para comprar cerca de US$ 1 bilhão às vésperas da divulgação da gravação do diálogo do empresário com o presidente Michel Temer.

A decisão, em caráter liminar, foi proferida no dia 30 de maio pelo juiz federal Tiago Bitencourt De David, da 5ª Vara Federal Cível em São Paulo. Cabe recurso.

“Dado o protagonismo aparente do demandado Joesley Mendonça Batista e de sua saída do país, a medida cautelar é contra o mesmo dirigida neste momento inicial, ressalvada a hipótese de fato superveniente que imponha reconsideração e modificação da medida, inclusive para alcançar outros demandados na hipótese de insuficiência patrimonial”, afirmou o magistrado, citando “risco ao erário e à ordem econômica” e destacando ainda ser sabida “a dificuldade que o público tem de saber quais as operações realizadas pelo BNDES com o grupo JBS e com a família Batista”.

Os autores da ação, segundo as informações do processo, são os cidadãos Hugo Fizler Chaves Neto e Cristiane Souza da Silva.

De acordo com a denúncia, Joesley e Wesley Batista, bem como os diretores da JBS S.A. e da J&F teriam praticado o crime de “insider trading”, que é o uso de informações privilegiadas para lucrar na venda ou na compra no mercado financeiro.

Além da compra de dólares, os autores acusam a família Batista de vender equivalente a R$ 327,4 milhões em ações da JBS no mês de abril, época em que já colaboravam com as investigações. Por fim, alegam que a empresa obteve um acréscimo superior a 4.000% em seu faturamento graças a créditos concedidos pelo BNDES.

A compra de dólar na véspera do vazamento dos aúdios da delação premiada da JBS teria levado a empresa a obter ganhos financeiros, já que a cotação da moeda disparou nos dias seguintes à divulgação das conversas entre Joesley e Temer.

Os autores haviam pedido liminarmente o bloqueio de R$ 10 bilhões das contas correntes da pessoa jurídica de todos os réus, e, em sede definitiva, postulam o pagamento de R$ 15 bilhões.


Compartilhar
Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Google Plus

Leia Também
ASAS derruba umidade para 9%, promove geada e frio radiativo no Sudeste e Sul do Brasil. Frio pode aumentar no final de semana

Justiça Federal autoriza leilão de R$ 14,5 milhões em bens de Sérgio Cabral

Janot diz que não há dúvidas de que Temer cometeu ‘crime de corrupção’

Avião interceptado pela FAB com cocaína decolou de fazenda da família de Maggi


Palocci é condenado a 12 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro

Palocci é condenado a 12 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro


Lula tem 30%, Bolsonaro, 16%, e Marina, 15%, aponta pesquisa Datafolha para 2018

Lula tem 30%, Bolsonaro, 16%, e Marina, 15%, aponta pesquisa Datafolha para 2018


Jovens acampam para comprar tênis de Kanye West

Jovens acampam para comprar tênis de Kanye West


Maia sanciona lei que libera remédios para emagrecer, informa Casa Civil

Maia sanciona lei que libera remédios para emagrecer, informa Casa Civil



CFW Agência de Internet