Superinformado Notícias
Facebook
Twitter
Instagram

Lula diz que não deve nada a ninguém e não teme a Justiça

O ex-presidente contou que no depoimento desta manhã foram repetidas as mesmas perguntas que ele já havia respondido em outros três depoimentos anteriores


sexta-feira, 04/março/2016
Lula diz que não deve nada a ninguém e não teme a Justiça

Em um pronunciamento na sede do Diretório Nacional do PT, em São Paulo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, alvo da 24ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Aletheia, deflagrada nesta sexta-feira (4), classificou de “show midiático” a ação feita pela manhã que o levou em condução coercitiva à delegacia. Lula garantiu: “não devo e não temo”. Em seguida, falando a jornalistas, ele disse que se sentiu “prisioneiro hoje de manhã”.

“Eu me senti prisioneiro hoje. Eu, sinceramente, já passei por muita coisa na minha vida, não sou homem de guardar ressentimento, guardar mágoa, mas não pode continuar assim”, desabafou.

“Se o juiz Moro ou o Ministério Público quisessem me ouvir, era só ter mandado um ofício que eu iria, como sempre fui. Por que eu não devo e não temo”, disse o ex-presidente durante o pronunciamento.” Nada disso diminuiu a minha honra. Eles acenderam em mim a chama e a luta continua”, completou.

“A minha indignação é pelo fato de 6 horas da manhã terem chegado na minha casa, vários delegados, aliás, muito gentis, não sei se são sempre assim, mas muito gentis, pedindo desculpas, que estavam cumprindo uma decisão judicial e a decisão era do juiz Moro”, prosseguiu Lula.

O ex-presidente contou que no depoimento desta manhã foram repetidas as mesmas perguntas que ele já havia respondido em outros três depoimentos anteriores. Para ele, o juiz Sérgio Moro não precisava ter mandado uma “coerção da Polícia Federal a minha casa”.

“Não precisava. Era só ter convidado. Antes dele eu já era um democrata”, disparou o petista. “Já prestei vários depoimentos. Dia 5 de janeiro eu estava de férias e eu suspendi as férias para ir à Brasília prestar um depoimento para a Polícia Federal”, comentou. “Se quiserem matar a jararaca, não bateram na cabeça, bateram no rabo. A jararaca tá viva, como sempre esteve”, disse. “Eu acho que eu merecia um pouco mais de respeito neste país”, completou.

Para a Procuradoria, “há evidências de que o ex-presidente Lula recebeu valores oriundos do esquema Petrobras por meio da destinação e reforma de um apartamento tríplex e de um sítio em Atibaia, da entrega de móveis de luxo nos dois imóveis e da armazenagem de bens por transportadora. Também são apurados pagamentos ao ex-presidente, feitos por empresas investigadas na Lava Jato, a título de supostas doações e palestras.

Críticas à imprensa

No discurso, o ex-presidente criticou a imprensa pelo que considera um “espetáculo midiático” e disse que “hoje quem condena as pessoas são as manchetes”.

Ele citou que há algum tempo, a Justiça investigava e então denunciava um crime. Em sua opinião, hoje os fatos se inverteram e a “primeira coisa que fazem é determinar você é criminoso, colocando a cara na imprensa”.

O ex-presidente também saiu em defesa da presidente Dilma Rousseff. “Estão cerceando a liberdade de Dilma a governar o país”, afirmou.

 

Gazeta do Povo


Compartilhar
Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Google Plus

Leia Também
Trump vai enviar americanos para a Lua e para Marte, diz Casa Branca

Relatório dos EUA afirma que tripulantes de submarino argentino tiveram morte imediata em explosão

Caixa prorroga prazo para concluir financiamento de imóveis usados aprovados antes de reduzir limite

Morre em São Paulo o estilista Ocimar Versolato


Facebook diz ‘esperar tomar medidas’ contra perfis falsos no Brasil antes das eleições de 2018

Facebook diz ‘esperar tomar medidas’ contra perfis falsos no Brasil antes das eleições de 2018


Carro cai no mar e motorista desaparece em São Sebastião

Carro cai no mar e motorista desaparece em São Sebastião


Denatran torna mais rigorosa a inspeção de veículos

Denatran torna mais rigorosa a inspeção de veículos


Marco Aurélio Mello determina quebra de sigilos bancário e fiscal de Aécio Neves

Marco Aurélio Mello determina quebra de sigilos bancário e fiscal de Aécio Neves