Superinformado Notícias
Facebook
Twitter
Instagram

Mercado saudável movimenta US$ 35 bilhões por ano no Brasil


sábado, 14/março/2015
Mercado saudável movimenta US$ 35 bilhões por ano no Brasil

Apesar do desaquecimento da economia brasileira, o mercado de alimentação saudável experimenta um período de prosperidade nunca antes visto. As vendas deste tipo de produto praticamente dobraram (98%) no Brasil nos últimos cinco anos e cresceram acima da demanda por alimentos tradicionais (67%) no mesmo período, segundo pesquisa da consultoria Euromonitor.

O segmento movimenta US$ 35 bilhões ao ano no país (é o quarto maior mercado do mundo) e não é difícil entender o porquê disso. De acordo com o mesmo relatório, 28% dos brasileiros consideram o valor nutricional o mais importante na hora de consumir um produto, enquanto 22% dá preferência a alimentos naturais e sem conservantes.

Segundo Milena Maia, diretora da Blue PM, consultoria especializada no mercado saudável, o melhor momento do setor ocorreu no final de 2013 e início de 2014, mas nesse momento não há sinal de desaquecimento. “Os consumidores dão cada vez mais importância aos benefícios nutricionais. A crise [econômica] não foi tão devastadora porque essa consciência de saúde e qualidade de vida está acima de qualquer economia”, diz. Ela afirma que, diferentemente das dietas da moda, a alimentação saudável é uma tendência irreversível porque está enraizada em uma mudança de comportamento mais profunda, que vai da longevidade a uma nova forma de se relacionar com o meio ambiente.

Novo consumidor

De olho nesse mercado em expansão, a indústria tenta se adaptar ao perfil do novo consumidor, investindo em linhas saudáveis e buscando novos investidores e fornecedores. Quem aproveita esse “vento favorável” é a curitibana Jasmine, fabricante de produtos orgânicos como biscoitos, papinhas e grãos. A empresa, que cresce em média 20% ao ano, foi comprada no ano passado pela francesa Nutrition et Santé, subsidiária da farmacêutica Otsuka, do Japão.

O aporte financeiro vitaminou os planos para 2015 da Jasmine, que pretende lançar mais dez linhas de produtos e inaugurar outra fábrica em Campina Grande do Sul, na região de Curitiba. “O acompanhamento de pesquisas de mercado garante um portfólio atualizado conforme os desejos do cliente. Isso faz toda a diferença nas vendas”, explica Damian Allain, diretor de mercado da Jasmine.

Preferência

Menina dos olhos das indústrias de alimentos saudáveis, o mercado brasileiro de orgânicos cresce acima da média mundial. Segundo o Organics Brasil, em 2014 o segmento cresceu 25% e registrou faturamento de US$ 750 milhões. Segundo relatório da consultoria Nielsen publicado em janeiro, 33% dos consumidores declaram que dão preferência a alimentos orgânicos e estão dispostos a pagar mais caro por esses produtos. Nos últimos dois anos, a venda de orgânicos aumentou 28% no mundo.

Os alimentos funcionais também ganham cada vez mais espaço nas prateleiras. São aqueles alimentos ou ingredientes que, além das funções nutricionais básicas, produzem efeitos benéficos à saúde quando passam a fazer parte da dieta habitual.

Bebidas funcionais ganham as gôndolas

Especializada em vinhos e sucos de uva, a Famiglia Zanlorenzi, da vinícola Campo Largo, agora aposta na própria marca de sucos funcionais, a Simmm!, lançada em fevereiro. O investimento de R$ 3 milhões foi motivado pela alta performance de seu suco integral de uva, cujo sucesso, descobriu-se, estava não no sabor, mas na saudabilidade, já que não leva água, açúcar ou conservantes.

“Começamos a enxergar produtos que agregam uma função ao hábito de consumo e expandimos nossa atuação a outro segmento para atender a esse desejo do consumidor”, diz o diretor comercial da empresa Teodósio Piedrahita.

Faturamento maior

Ele projeta que, em pouco tempo, o faturamento da empresa deve ser maior em sucos do que em vinhos. Os três sucos – Detox, Antiox e Colágeno – são distribuídos nacionalmente e estão à venda em grandes redes de supermercados, como Carrefour e Pão de Açúcar.

Prensados a frio

Outra novidade no segmento de bebidas local é a Sabor Vivo, primeira empresa de sucos orgânicos prensados a frio do Brasil. Adeptos da alimentação saudável, os sócios decidiram empreender para facilitar o acesso das pessoas a esse tipo de produto. “Não temos a pretensão de ser a maior engarrafadora de sucos do mundo, mas a empresa que produz os sucos com mais nutrientes por mililitro do mundo”, diz o sócio e diretor comercial Rafael Mellem.

Com investimento inicial de R$ 700 mil, a empresa tem um quiosque no Shopping Pátio Batel e aposta no sistema de distribuição por assinaturas. Até o fim de 2015, planeja lançar uma nova linha e abrir mais dez pontos de venda em Curitiba, além de Santa Catarina. (LS)

Gazeta do Povo


Compartilhar
Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Google Plus

Leia Também
Eclipse escurece o sol nos EUA e em outras partes do mundo

Professora é agredida com socos após repreender aluno

Casos de HIV aumentam mais de 350% em seis anos no Paraná, diz Sesa

Nasa transmite ao vivo o eclipse solar total


Autor de atentado de Barcelona é morto pela polícia catalã

Autor de atentado de Barcelona é morto pela polícia catalã


No Dia Nacional de combate ao fumo (29), médicos esclarecem como o tabagismo prejudica a saúde dos homens

No Dia Nacional de combate ao fumo (29), médicos esclarecem como o tabagismo prejudica a saúde dos homens


32 Unidades Básicas de Saúde de Guarapuava receberão novos equipamentos nesta terça-feira (22)

32 Unidades Básicas de Saúde de Guarapuava receberão novos equipamentos nesta terça-feira (22)


UPP Santa Marta prende suspeito de pendurar fuzil em estátua de Michael Jackson

UPP Santa Marta prende suspeito de pendurar fuzil em estátua de Michael Jackson



CFW Agência de Internet