Superinformado Notícias
Facebook
Twitter
Instagram

Porsche de doleira presa na Lava Jato é leiloado por R$ 206 mil


segunda-feira, 23/março/2015
Porsche de doleira presa na Lava Jato é leiloado por R$ 206 mil

O Porsche Cayman que pertenceu à doleira Nelma Kodama foi vendido em leilão nesta segunda-feira (23) por R$ 206 mil, em Curitiba. O valor ficou R$ 6 mil acima do lance mínimo estabelecido para o leilão pela Justiça Federal. Conforme a organização do leilão, foram feitos cinco lances até que se chegasse ao arremate do comprador, que é de Curitiba.

Nelma Kodama foi condenada na Operação Lava Jato a 18 anos de prisão pela prática de 91 crimes de evasão de divisas, além de operação de instituição financeira irregular, evasão de divisas tentada, corrupção ativa, pertinência a organização criminosa e lavagem de dinheiro. Ela está presa na carceragem da PF em Curitiba e recorre da decisão.
O carro, que segundo a Justiça foi adquirido como produto de crimes financeiros, foi o primeiro bem apreendido na Lava Jato a ser leiloado. O Ministério Público Federal (MPF), que solicitou o leilão, afirmou que a medida tem a mesma finalidade do processo criminal, conhecida como alienação antecipada, cujo o objetivo “é preservar o valor econômico do bem que está sujeito à deterioração e à consequente perda de valor”.

“Bens como carros, barcos e aviões, além de exigirem uma manutenção regular que gera custos, estão sujeitos a depreciação, que podem resultar em prejuízo para o conjunto da sociedade, no caso da utilização do bem para ressarcimento aos cofres públicos, ou para o próprio réu da ação penal, no caso de devolução do bem ao fim do processo”, explicou o órgão em nota.
Além do valor do carro, o vencedor do leilão está sujeito às custas da arrematação, que podem chegar a até quase R$ 2 mil, e da remoção do veículo.
Prisão
Nelma Kodama foi presa em março do ano passado, no Aeroporto Internacional de Guarulhos. Na ocasião, ao saber que estava sendo investigada pela PF, a doleira tentou fugir para a Itália com 200 mil euros escondidos na calcinha.
De acordo a decisão da Justiça, a lavagem de dinheiro foi caracterizada pela aquisição do carro de luxo como produto de crimes financeiros, mantendo deliberadamente o nome do antigo proprietário no registro. O veículo foi comprado em 2013 por R$ 225 mil, de acordo com a sentença.

g1


Compartilhar
Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Google Plus

Leia Também
Caixa prorroga prazo para concluir financiamento de imóveis usados aprovados antes de reduzir limite

Morre em São Paulo o estilista Ocimar Versolato

Facebook diz ‘esperar tomar medidas’ contra perfis falsos no Brasil antes das eleições de 2018

Carro cai no mar e motorista desaparece em São Sebastião


Denatran torna mais rigorosa a inspeção de veículos

Denatran torna mais rigorosa a inspeção de veículos


Marco Aurélio Mello determina quebra de sigilos bancário e fiscal de Aécio Neves

Marco Aurélio Mello determina quebra de sigilos bancário e fiscal de Aécio Neves


Quer mudar para Santa Catarina? Estado tem 765 vagas abertas em concursos

Quer mudar para Santa Catarina? Estado tem 765 vagas abertas em concursos


Alexandre de Moraes vota a favor de imunidade a deputados estaduais

Alexandre de Moraes vota a favor de imunidade a deputados estaduais