Superinformado Notícias
Facebook
Twitter
Instagram

Trump assina nova ordem migratória e veta entrada de migrantes de 6 países

Na nova versão, cidadãos do Iraque e de países afetados que possuam residência permanente nos Estados Unidos poderão entrar no país.


segunda-feira, 06/março/2017
Trump assina nova ordem migratória e veta entrada de migrantes de 6 países

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou nesta segunda-feira (6) a versão revisada de seu polêmico veto migratório a refugiados e cidadãos de países de maioria muçulmana. Estão proibidos de entrar nos EUA, por tempo temporário, os cidadãos do Irã, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iêmen.

Após a Justiça barrar o decreto de 27 de janeiro, o governo Trump fez mudanças na nova versão do texto. Os cidadãos do Iraque e de países afetados que possuam residência permanente nos Estados Unidos ou que já estejam em posse de um visto poderão entrar no país.

A nova ordem entrará em vigor no dia 16 de março. O Iraque, que estava entre os países barrados na primeira versão do decreto, foi retirado da lista. “O Iraque já não está na lista”, afirmou a assessora Kellyanne Conway, nesta segunda-feira (6), antes de Trump assinar o novo decreto.

Conforme a agência Efe, o presidente americano decidiu excluir os cidadãos do Iraque de seu novo decreto migratório porque o governo iraquiano se comprometeu a colaborar na investigação sobre seus cidadãos, segundo explicaram altos funcionários americanos.

O governo do Iraque pretende melhorar os padrões de documentação de seus cidadãos que viajam aos EUA, e a executar no “tempo oportuno” os processos de repatriação de seus cidadãos com ordens de deportação nos Estados Unidos.

O veto para concessão de vistos para os cidadãos destes seis países terá duração de 90 dias, enquanto o programa para admissão de refugiados foi suspenso por 120 dias.

De acordo com as autoridades americanas, o decreto tem como objetivo reforçar os procedimentos de segurança e assegurar que as pessoas que pedem asilo não sejam uma ameaça para a segurança dos americanos.

Na versão anterior, bloqueada nos tribunais, era proibida de maneira indefinida a entrada de refugiados sírios nos Estados Unidos, mas desta vez o governo não os menciona de maneira específica e os inclui com o resto de refugiados.

O secretário americano de Estado, Rex Tillerson, afirmou nesta segunda-feira (6) que o decreto migratório assinado pelo presidente Donald Trump é vital para fortalecer a segurança nacional dos Estados Unidos.

“A ordem executiva assinada pelo presidente para proteger a nação da entrada de terroristas estrangeiros é uma medida vital para fortalecer nossa segurança nacional”, afirmou o chefe da diplomacia americana.

Disputa na Justiça

Em seu primeiro veto migratório, Trump havia proibido a entrada nos EUA dos cidadãos de sete países de maioria muçulmana (Iraque, Irã, Somália, Iêmen, Líbia, Síria e Sudão) durante 90 dias, e suspendia o programa de acolhimento de refugiados durante 120 dias, enquanto no caso dos refugiados sírios, essa suspensão era indefinida.

Após uma semana de caos e confusão durante a qual o governo já tinha introduzido algumas modificações, um juiz federal suspendeu o veto de forma temporária para estudar sua constitucionalidade, uma decisão que depois foi mantida por um tribunal de apelações ao qual Trump tinha recorrido.

g1


Compartilhar
Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Google Plus

Leia Também
Prefeito de Petrópolis, pede desculpa e diz que vai revogar lei do Dia do Servidor ‘Bonito Esteticamente’

Demora em associar ruído a submarino que desapareceu causa polêmica na Argentina

Anatel começa a bloquear celular pirata a partir de maio de 2018

Parceiro de Alceu Valença, cantor e compositor Tito Lívio morre aos 60 anos, em Olinda


Estudo aponta contaminação por cocaína no mar do litoral de SP

Estudo aponta contaminação por cocaína no mar do litoral de SP


Mega-Sena, ninguém acerta e prêmio acumula em R$ 60 mi

Mega-Sena, ninguém acerta e prêmio acumula em R$ 60 mi


Assembleia paulista aprova lei que facilita sujar nome de devedor

Assembleia paulista aprova lei que facilita sujar nome de devedor


Black Friday: veja os principais problemas dos últimos anos e listas de empresas mais reclamadas

Black Friday: veja os principais problemas dos últimos anos e listas de empresas mais reclamadas