Superinformado Notícias
Facebook
Twitter
Instagram

Ex-bancário desafia clientes com cachorro-quente de quase 2 quilos

Dia da Gula é comemorado nesta sexta-feira (26).


sexta-feira, 26/janeiro/2018
Ex-bancário desafia clientes com cachorro-quente de quase 2 quilos

Existem pessoas quem gostam de um simples cachorro-quente. Mas há também os que preferem o lanche do tipo “pão-com-salsicha-e-tudo-dentro-até-não-caber-mais-nada”.

Para satisfazer o gosto do segundo grupo e atender aos mais esfomeados, um ex-bancário de São José do Rio Preto (SP) adotou o hot dog no saco plástico, que  experimentamos para celebrar o Dia da Gula, comemorado nesta sexta-feira (26).

O saco plástico tem uma função primordial: fazer caber a maior quantidade possível de recheio. Enquanto os lanches tradicionais recebem a quantidade de ingredientes que cabe no pão, neste, o pão é apenas um “detalhe”.

Depois de colocado dentro do saquinho, ele é coberto por camadas e mais camadas de recheio, que vai desde batata-palha até carne moída. O resultado é um lanche gigante, de quase dois quilos e 30 centímentros de altura, e aspecto, digamos, diferente.

“Em Rio Preto é normal ter lanches grandes, mas o cachorro-quente gigante não existe na região. Como as pessoas comiam de dois a três lanches pequenos, resolvi criar o médio, que pesa quase um quilo. Mas percebi que nem o médio estava sustentando os clientes, então criei o grande que pesa cerca de 1,7 quilo. Acredito que, agora, não tem como criar um cachorro-quente maior que este”, explica Luiz Hideo Savay, conhecido como “Mek Japa”.

O ex-bancário de 55 anos já passou mais da metade da vida saciando a fome de moradores e turistas em Rio Preto. Ele dá até instruções de como degustar a gigantesca iguaria. “Tem que empurrar de baixo para cima e ir comendo, sem talher mesmo.”

Confira a lista de ingredientes

  • pão de leite
  • até cinco salsichas
  • maionese
  • ketchup
  • mostarda
  • requeijão
  • batata palha (em quantidades generosas)
  • carne moída
  • frango desfiado

O uso do saco plástico transparente também é fundamental. “Tem que ser transparente para o cliente ver as camadas de recheio que formam o lanche”, defende Luiz.

O cachorro-quente custa R$ 37, mas pode sair de graça e até render uma grana se o cliente conseguir comer dois lanches em uma hora. Ou seja, quase 4 quilos de uma mistura de pão, salsichas, batata-palha, frango desfiado, carne moída e molhos.

O comerciante garante que um cliente já recebeu R$ 500 por ter conseguido a proeza. A dupla  bem que tentou, mas não foi possível dar conta sequer de um lanche inteiro.

g1


Compartilhar
Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Google Plus

Leia Também
Festival do Caranguejo em Shangri-lá reúne diversas atrações musicais; confira a programação

Crepe com massa de pão de queijo é sucesso nas praias do Paraná

Rabanada: confira receitas deste doce tradicional do Natal

O MasterChef Ivo Lopes e Chef guarapuavano servem jantar exclusivo em Pato Branco


Pizza gigante com 64 pedaços faz sucesso em pizzaria ‘especialista em exagero’

Pizza gigante com 64 pedaços faz sucesso em pizzaria ‘especialista em exagero’


Chefs de cozinha participam de feira de degustação em Foz do Iguaçu

Chefs de cozinha participam de feira de degustação em Foz do Iguaçu


Fim da onda do food truck leva empresários a se reinventarem

Fim da onda do food truck leva empresários a se reinventarem


Coca-Cola lança nova bebida no Brasil

Coca-Cola lança nova bebida no Brasil