Superinformado Notícias
Facebook
Twitter
Instagram

Justiça Federal marca leilão de bens atribuídos a um dos maiores traficantes da América do Sul

Carro de luxo, bebidas e bolsas femininas importadas estão entre os itens avaliados em cerca de R$ 350 mil


sábado, 16/setembro/2017
Justiça Federal marca leilão de bens atribuídos a um dos maiores traficantes da América do Sul

A 23ª Vara Federal de Curitiba marcou para o dia 19 deste mês o leilão de dezenas de bens atribuídos a Luiz Carlos da Rocha. Segundo a Polícia Federal (PF), ele é conhecido no mundo do crime como Cabeça Branca e é um dos principais traficantes de cocaína da América Latina. Ele foi detido em julho deste ano, no Mato Grosso.

Alguns dos itens pertencem também a Wilson Roncaratti, suspeito de ser o braço-direito de Cabeça Branca, que foi preso em Londrina, no norte do Paraná.

Os bens estão em um depósito da PF, em Londrina. Entre os itens a serem leiloados há um sedã de luxo, avaliado em R$ 120 mil, uma moto avaliada em cerca de R$ 30 mil, carros de menor valor, bolsas femininas de marcas famosas, garrafas de vinho e de whisky. A Justiça espera arrecadar cerca de R$ 350 mil com a venda. A lista completa de itens está disponível no site do leiloeiro oficial designado pela Justiça.

Apesar de o valor parecer vultuoso a num primeiro momento, isso representa uma pequena fração do patrimônio atribuído a Cabeça Branca. Para a PF, o homem que estava foragido há cerca de 30 anos acumulou aproximadamente R$ 350 milhões com o tráfico de drogas. O traficante já foi condenado em diversos casos a mais de 50 anos de prisão.

As investigações apontaram que o grupo liderado por Cabeça Branca usava caminhões carregados com soja para transportar as drogas. O dinheiro obtido com a venda da cocaína era lavado em fazendas, onde as drogas eram escondidas. Ainda de acordo com a Polícia Federal, Cabeça Branca mantinha duas casas, uma em Sorriso, no Mato Grosso, e outra em Osasco, na Grande São Paulo, usando identidades falsas.

Além dos itens que serão leiloados, os dois tiveram mais série de bens bloqueados pela Justiça, incluindo fazendas, casas e outros carros de luxo.

Ainda de acordo com as investigações, o criminoso usava o Porto de Santos (SP) para exportar drogas para a Europa e os Estados Unidos e tinha mais influência que outros traficantes, como Fernandinho Beira-Mar e Juan Carlos Abadia.

Procurada, a defesa de Luiz Carlos da Rocha informou que o cliente não terá prejuízo imediato com a venda dos bens, já que o dinheiro obtido será enviado para uma conta bancária, até que as acusações contra ele sejam julgadas em definitivo pela Justiça. A defesa também afirma que os carros não pertencem a Rocha e que as condenações contra ele estão em fase de recurso.

Os advogados de Roncaratti não foram localizados para comentar o caso.

g1


Compartilhar
Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Google Plus

Leia Também
Guaratuba tem serviço de alerta de tempestades por SMS

Comitê gestor apresenta projeto para instalação da radioterapia na unidade II do Hospital São Vicente

Curso sobre Compras Governamentais está com inscrições abertas

Agentes realizam serviços socioambientais na região de Guarapuava


Buraco na pista fecha aeroporto de Foz e atrasa voos

Buraco na pista fecha aeroporto de Foz e atrasa voos


Governo chama mais 100 servidores concursados para Saúde

Governo chama mais 100 servidores concursados para Saúde


Secretário municipal e mais duas pessoas são presas em operação do Gaeco no Litoral

Secretário municipal e mais duas pessoas são presas em operação do Gaeco no Litoral


Ponte do Rio Jordão será interditada para continuidade da obra de duplicação

Ponte do Rio Jordão será interditada para continuidade da obra de duplicação