Superinformado Notícias
Facebook
Twitter
Instagram

Paranaense condenado à morte na Indonésia deve ser executado em fevereiro


sexta-feira, 30/janeiro/2015
Paranaense condenado à morte na Indonésia deve ser executado em fevereiro

Após ter seus pedidos de clemência negado, o nome do brasileiro Rodrigo Gularte apareceu numa lista de prisioneiros que serão executados divulgada pelo governo indonésio, na última quarta-feira (28). De acordo com o jornal The Jakarta Post, as autoridades já começaram a preparar a prisão na ilha de Nusakambangan, em Cilacap, onde deve ocorrer a execução, em fevereiro. A data exata, no entanto, ainda não foi divulgada.

“Nós estamos muito prontos. Agora é apenas uma questão de pressionar o botão”, disse o Ulung Sampurna Jaya, chefe da polícia de Cilacap ao Jakarta Post.

A informação de que o governo indonésio pretende executar mais 11 prisioneiros foi passada pela Procuradoria Geral do país ao parlamento durante uma reunião que aconteceu na quarta-feira. No encontro não foram passados outros detalhes, apenas que ainda está sendo decidida a data e o local exato onde ocorrerá a execução. Além do brasileiro, a lista inclui cidadãos da Austrália, França, Filipinas, Gana e Espanha.

A família de Rodrigo Gularte, preso em 2004 tentando entrar no país com 6 quilos de cocaína dentro de pranchas de surfe, tenta impedir a execução do brasileiro. Em entrevista ao Fantástico, da TV Globo, Angelita Gularte, prima dele, disse por e-mail que o brasileiro está enlouquecendo na prisão, onde recebe a visita constante de médicos e religiosos. Ela tenta um laudo de autoridades da Indonésia constatando que o primo sofre de esquizofrenia, que o livraria do fuzilamento

O governo brasileiro tem pouca esperança de ver revertida a condenação de Rodrigo Gularte. Oficialmente, a administração Dilma Rousseff continuará tentando evitar a morte de Gularte. Nos bastidores, no entanto, as autoridades já perderam a confiança nessa possibilidade, já que o último pedido de clemência de Rodrigo foi negado.

No início do mês o governo indonésio executou o brasileiro Marco Archer, condenado em 2004 por tentar entrar na Indonésia com 13,4 quilos de cocaína escondidos em tubos de uma asa-delta. Na ocasião, ele confessou ter recebido US$ 10 mil para levar a droga do Peru, com conexão em São Paulo. Ele foi o primeiro brasileiro executado no exterior. Logo após a execução o Ministério das Relações Exteriores entregou ao embaixador da Indonésia no Brasil, Toto Riyanto, uma nota de repúdio pela execução e por terem sido ignorados os pedidos de clemência e os apelos feitos pelo governo brasileiro.

Gazeta do Povo

Compartilhar
Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Google Plus

Leia Também
Bernardo Carli homenageia advogada Teresa Arruda Alvim na Assembleia Legislativa

Justiça bloqueia bens de deputados por uso irregular de verba oficial

Câmara de Londrina cassa o mandato do vereador mais votado do Paraná

Jatinho que levava dupla Maiara e Maraisa sai da pista em aeroporto após pneu estourar


Dia das Crianças é festejado com recreação e distribuição de brinquedos

Dia das Crianças é festejado com recreação e distribuição de brinquedos


Rompimento de rede por terceiros afeta bairros de Guarapuava

Rompimento de rede por terceiros afeta bairros de Guarapuava


Instituto emite alerta de temporal no Paraná

Instituto emite alerta de temporal no Paraná


Blitz surpresa recolhe 13 veículos em Guaratuba

Blitz surpresa recolhe 13 veículos em Guaratuba