Superinformado Notícias
Facebook
Twitter
Instagram

Secretário de Fazenda ‘compra briga’ e corta R$ 100 milhões do TJ

tudo, ao que parece, o governo volta a enfrentar dificuldades para quitar a folha de salários do final do ano


quarta-feira, 23/dezembro/2015
Secretário de Fazenda ‘compra briga’ e corta R$ 100 milhões do TJ

A decisão de cortar em R$ 100 milhões o repasse das verbas de dezembro para o Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) colocou o secretário estadual de Fazenda, Mauro Ricardo Costa, em rota de colisão com o Judiciário do estado. A disputa pelos recursos foi mostrada pelo telejornal PRTV, na noite desta terça-feira (22).

Em entrevista à RPC TCV, Mauro Ricardo chamou outros órgãos estaduais de “ilhas de prosperidade” e “privilegiados”, alegando que “esbanjam” e acusando-os de manter aplicações financeiras desproporcionais com a situação econômica do Paraná. O secretário disse que precisa do dinheiro para pagar o salário dos servidores.

“Nós temos dificuldades enormes no poder executivo e temos visto aí algumas ilhas de prosperidade esbanjando recursos públicos e com significativos recursos em caixa ou aplicados no mercado financeiro em detrimento da população do estado do Paraná”, declarou.

Mauro Ricardo afirma que o TJ tem R$ 947 milhões em aplicações financeiras. O presidente do TJ, desembargador Paulo Roberto Vasconcelos, nega e rebate. “Não é verdadeira a informação de que nós temos esse dinheiro aplicado. A gente até fica constrangido com isso. Eu desafio o secretário a provar que o dinheiro está no cofre”, disse, também em entrevista à RPC TV.

O repasse feito pelo governo estadual ao Judiciário, à Assembleia Legislativa, ao Tribunal de Contas e ao Ministério Público é obrigatório, com porcentuais fixados na Constituição. A previsão é de que, em 2016, esses órgãos irão receber R$ 3,9 bilhões. “O que nós temos aqui é algumas ilhas de prosperidade num continente em dificuldades”, diz.

O secretário defende que há sobras orçamentárias nesses órgãos e que o valor deveria ser aplicado em obras de interesse da população. Para ele, uma lei reduzindo o valor que deve ser repassado deveria ser aprovada, mas Mauro Ricardo afirma que não há “vontade política” para isso. Ele acredita que R$ 1,5 bilhão poderia ser economizado em 2016 com a redução no repasse. “É uma poupança desviada porque esse recurso deveria estar beneficiando a população e não em aplicações de alguns poderes privilegiados no Paraná”, declarou.

Dos R$ 140 milhões previstos para serem repassados ao TJ em dezembro, apenas R$ 40 milhões foram transferidos. Não ficou claro se o repasse aos outros órgãos também será cortado. Oficialmente, o TJ ainda não informou se terá dificuldade para pagar os funcionários.

Em entrevista, Vasconcelos garante que o valor citado pelo secretário se refere ao repasse do ano todo e que já foi gasto. Disse ainda que tem apenas aplicações financeiras referentes a dois fundos (Funrejus e Funjus), exclusivos para melhorias no Judiciário. Por lei, o presidente é proibido de usar o dinheiro dos fundos para salários de servidores.
Histórico

Depois de muitos meses com problemas financeiros sérios, que incluíam atrasos no pagamento de fornecedores, o governo estadual passou a quitar compromissos a partir da aprovação de leis polêmicas, que aumentaram impostos como o IPVA e mexeram na Previdência estadual. Contudo, ao que parece, o governo volta a enfrentar dificuldades para quitar a folha de salários do final do ano.

Paranaonline


Compartilhar
Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Google Plus

Leia Também
Prefeitura de Ponta Grossa oferece 1,2 mil vagas em cursos profissionalizantes pelo Pronatec

Quase 500 toneladas de lixo são retiradas das praias do Paraná em um mês

Denúncia de maus tratos e abandono de animais pode ser feita pelo Portal da Prefeitura de Guaratuba

Suspeitos de tráfico de drogas são detidos em Guaratuba, no litoral do Paraná


Bernardo cumpre agenda em Guarapuava e região tratando de investimentos na Educação

Bernardo cumpre agenda em Guarapuava e região tratando de investimentos na Educação


Trem é atingido por deslizamento de terra na ligação entre Curitiba e o litoral do Paraná

Trem é atingido por deslizamento de terra na ligação entre Curitiba e o litoral do Paraná


Motorista que matou criança e invadiu casa em Guarapuava não tem CNH, diz PM

Motorista que matou criança e invadiu casa em Guarapuava não tem CNH, diz PM


Caminhão atropela duas crianças na calçada e invade casa em Guarapuava; menino de 4 anos morreu

Caminhão atropela duas crianças na calçada e invade casa em Guarapuava; menino de 4 anos morreu