Superinformado Notícias
Facebook
Twitter
Instagram

Vereador, ex-secretária de Saúde e filho são condenados por terem sido beneficiados com cirurgias bariátricas

Parlamentar e o filho tiveram os procedimentos por vídeo realizados em 2013 e pagos com recursos públicos.


quinta-feira, 21/setembro/2017
Vereador, ex-secretária de Saúde e filho são condenados por terem sido beneficiados com cirurgias bariátricas

A Vara da Fazenda Pública de São Miguel do Iguaçu, no oeste do Paraná, condenou o vereador reeleito Francisco Machado Mota, a ex-secretária Maria Elizabeth de Borba e o filho dela a devolverem aos cofres públicos os valores pagos por duas cirurgias bariátricas – de redução de estômago – realizadas em 2013. A decisão foi publicada na terça-feira (19) e cabe recurso.

De acordo com a ação por improbidade administrativa, a ex-secretária interferiu para que o filho e o parlamentar fossem beneficiados com o procedimento por vídeo, pago com recursos da prefeitura.

O Ministério Público destacou ainda que apesar de o município manter convênio para a realização de cirurgias bariátricas, o tipo de cirurgia escolhida, por vídeo, tem valor mais alto que o contratado. A diferença também foi paga pela prefeitura.

A ex-secretária e o filho foram condenados a restituir, cada um, o valor da cirurgia, de R$ 16.186,95, além do pagamento de multa no mesmo valor. Já o vereador deverá restituir aos cofres públicos R$ 30.853,58, referente ao valor pago pela cirurgia dele e multa em dobro.

Os três foram condenados ainda a pagar, solidariamente, R$ 300 mil por danos morais coletivos, à perda da função pública, à suspensão dos direitos políticos por cinco anos e proibidos de contratar com o poder público também por cinco anos.

Na época, o prefeito chegou a ser afastado por suspeitas de envolvimento no caso, mas foi considerado inocente. A secretária foi exonerada em 2014 e o vereador – que segundo o MP chegou a devolver o dinheiro – foi cassado em 2015.

Outro lado

A ex-secretária reconheceu que foi usado dinheiro público para fazer a cirurgia do filho. De acordo com Maria Elizabeth, ele tinha sérios problemas de saúde e já estava há vários anos na fila aguardando pelo procedimento. Ela destacou ainda, que qualquer mãe faria o mesmo para salvar o filho.

Já o vereador Francisco Machado Mota, que está no quarto mandato, disse que devolveu o dinheiro pago pela cirurgia e que deve recorrer da decisão. “Por questão de saúde eu precisava fazer a cirurgia por vídeo, o que foi determinado pelo médico com quem fiz o tratamento”, observou.

g1


Compartilhar
Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Google Plus

Leia Também
Sem seguro, polícia recupera Land Rover de R$ 140 mil e faz alegria de curitibano

Prefeitura traz palestra com Marcos Meier para encontro dos servidores da Educação

Aberto o concurso de Decoração Natalina: Natal Luz em Guaratuba

Campus Santa Cruz desenvolve ações no Novembro Azul


Encapuzados invadem casa e matam empresária; namorado foi poupado

Encapuzados invadem casa e matam empresária; namorado foi poupado


Guaratuba recebe do governo área do futuro Parque de Eventos

Guaratuba recebe do governo área do futuro Parque de Eventos


Guaratuba tem serviço de alerta de tempestades por SMS

Guaratuba tem serviço de alerta de tempestades por SMS


Comitê gestor apresenta projeto para instalação da radioterapia na unidade II do Hospital São Vicente

Comitê gestor apresenta projeto para instalação da radioterapia na unidade II do Hospital São Vicente