Superinformado Notícias
Facebook
Twitter
Instagram

Dia do orgasmo (31): Andrologista esclarece principais dúvidas sobre o tema

A data surgiu em 1999 na Inglaterra, criada informalmente pelos estabelecimentos de sex shops, e se espalhou pelo mundo


segunda-feira, 31/julho/2017
Dia do orgasmo (31): Andrologista esclarece principais dúvidas sobre o tema

No dia 31 de julho comemora-se o Dia do Orgasmo. A data surgiu em 1999 na Inglaterra, criada informalmente pelos estabelecimentos de sex shops, e se espalhou pelo mundo com o objetivo de promover o debate sobre a dificuldade de algumas pessoas em chegar ao orgasmo. Conhecido por ser o momento do ápice sexual, o orgasmo pode ser atingido durante o sexo ou masturbação, por homens e mulheres, e tem duração de segundos. Para entender mais sobre o assunto, conversamos com o andrologista Filipe Tenório, da Clínica Andros Recife, para esclarecer as principais dúvidas, dificuldades e os fatores que podem influenciar o momento do clímax sexual.

 

Segundo Tenório, zonas erógenas existem no corpo inteiro e é essencial que cada um conheça a si mesmo para saber em quais locais possui mais excitação e perceber como o próprio corpo responde. Através de estímulos nessas zonas a pessoa fica mais suscetível a atingir o orgasmo. “Seios, orelhas e pescoços são alguns dos locais mais erógenos. O primeiro passo para melhorar a saúde sexual é estabelecer um diálogo para saber o que o parceiro deseja”, afirma.

 

– Existe diferença entre orgasmo e ejaculação? Todo orgasmo tem ejaculação?

FT: Sim, o orgasmo é a sensação de prazer que ocorre no durante o clímax da atividade sexual. Já a ejaculação é a expulsão do sêmen pela uretra através de contrações fortes da musculatura pélvica. Embora no homem orgasmo e ejaculação ocorram usualmente de forma simultânea, é possível haver orgasmo sem ejaculação (chamado de orgasmo seco) e ejaculação sem orgasmo. Isso pode ocorrer de forma natural (existem até treinamentos para se obter um orgasmo seco), ou pode ser devido à alguma disfunção, ao uso de medicações ou cirurgias.

 

– Como identificar o orgasmo? Quais as sensações?

FT: Podemos descrever o orgasmo com um pico de excitação, de prazer, que dura alguns segundos seguidos de um período de relaxamento, com diminuição da sensação de prazer.

 

– Quantos orgasmos uma pessoa pode ter durante a relação?

FT: Os homens normalmente têm apenas 01 orgasmo por relação, já que depois da ejaculação há um período onde o pênis fica flácido, chamado de período refratário, durante o qual não se consegue atingir o orgasmo. Este período tem duração variável. Porém, alguns homens conseguem ter orgasmos múltiplos sem perder a ereção, e às vezes sem ejaculação. Já as mulheres conseguem ter orgasmos múltiplos com mais facilidade e possuem um período refratário mais curto. Algumas técnicas de sexo tântrico podem ajudar na obtenção de orgasmos múltiplos.

 

– Todas as pessoas conseguem chegar ao orgasmo?

FT: Embora a maioria consiga atingir o orgasmo, algumas poucas não o conseguem. Esta disfunção é chamada de anorgasmia e pode estar relacionada a problemas psicológicos, a algumas medicações, ou distúrbios dos neurotransmissores cerebrais.

 

– O tamanho do pênis influencia na sensação do orgasmo?

FT: Não. O tamanho do pênis não exerce nenhuma influência no orgasmo. Tanto no homem, quanto na mulher. Em ambos, o mais importante é que as zona erógenas sejam bem estimuladas durante as relações.

 

– A idade influencia no orgasmo?

FT: Influencia. Pessoas mais velhas tendem a ter uma maior dificuldade de atingir o orgasmo, seja por dificuldade de manter a ereção ou por diminuição dos níveis de testosterona no caso dos homens, e dificuldade na lubrificação vaginal, o que pode causar dor durante a relação, no caso das mulheres. Vale lembrar que todos esses problemas são facilmente tratáveis atualmente.

 

– Quanto tempo dura o orgasmo?

FT: Nos homens ele dura em média 10 segundos e nas mulheres 20 segundos.

 

– Quais fatores físicos podem atrapalhar o orgasmo?

FT: Ejaculação precoce é uma disfunção que afeta o orgasmo em ambos os sexos. O homem com ejaculação precoce tende a ter um orgasmo de intensidade diminuída, já que a duração da estimulação sexual está intimamente relacionada à intensidade do orgasmo. Já a mulher cujo parceiro sofre de ejaculação precoce dificilmente irá conseguir o atingir o orgasmo durante a penetração.

 

É importante ressaltar que o tempo necessário para o orgasmo para as mulheres geralmente é maior do que para os homens, e que apenas 25% das mulheres chegam ao orgasmo com apenas penetração vaginal. Já quando o sexo oral é praticado, 81% delas conseguem atingi-lo.

 


Compartilhar
Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Google Plus

Leia Também
EUA aprovam nova droga anti-HIV: a primeira a juntar dois compostos da nova geração

Tratamento para câncer de próstata ganha genérico inédito

Unicamp desenvolve colírio para evitar e tratar perda de visão em diabéticos

Mal do século: a diabetes e seus malefícios


Jovens estão perdendo audição por causa de fones de ouvido, alerta conselho

Jovens estão perdendo audição por causa de fones de ouvido, alerta conselho


Senado aprova projeto que assegura a vítimas de câncer de mama cirurgia para simetria dos seios

Senado aprova projeto que assegura a vítimas de câncer de mama cirurgia para simetria dos seios


As vantagens e desvantagens do cada vez mais popular coletor menstrual

As vantagens e desvantagens do cada vez mais popular coletor menstrual


Projeto da UFPR de acompanhamento de bebês é implantado no Hospital de Guaratuba

Projeto da UFPR de acompanhamento de bebês é implantado no Hospital de Guaratuba