Superinformado Notícias
Facebook
Twitter
Instagram

Ministério do Esporte e CBC oficializam liberação de recursos para quatro clubes do Paraná


terça-feira, 31/março/2015
Ministério do Esporte e CBC oficializam liberação de recursos para quatro clubes do Paraná

Quatro clubes do Paraná passarão a contar com a ajuda de recursos públicos para formação de seus atletas olímpicos e paraolímpicos. A Confederação Brasileira de Clubes (CBC) faz, nesta quarta-feira (1º.04), às 11h, um ato de descentralização de recursos para a formação de atletas nos clubes selecionados no Edital nº 1 de Chamamentos Internos de Projetos (chamada pública). São eles: Santa Mônica Clube de Campo (anfitrião do evento, que receberá R$ 798.754,28), Clube Curitibano (R$ 1.608.164,04), Sociedade Thalia (R$ 874.331,00) e Círculo Militar do Paraná (que receberá R$ 701.058,90). O evento contará com a presença de membros dos clubes contemplados.

A dinâmica em forma de chamada pública foi criada pela CBC para que o repasse privilegie a transparência e a democracia em todo o processo. Os clubes enviaram seus projetos e estes foram classificados por uma comissão técnica especializada. O primeiro requisito para que um clube se enquadre para receber os recursos é a adequação do seu estatuto, e deve, necessariamente, estar em dia com os tributos públicos e ter ainda atuação na formação de atletas.

Histórico

Em 2011, uma mudança na Lei Pelé, feita pela Lei 12.395/11, incluiu a CBC como beneficiária de 0,5% do total da arrecadação das loterias da Caixa Econômica Federal ao lado do Comitê Olímpico do Brasil (COB) e do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB). O Governo Federal apoiou os clubes, tradicionalmente os grandes formadores de atletas do país, em sua reivindicação de receber parte da arrecadação das loterias federais. Para que fosse possível a inclusão da CBC nos repasses da Lei Agnelo/Piva, o Ministério do Esporte abriu mão de porcentagem do que lhe cabe das loterias.

O evento

A cerimônia desta quarta na sede do Santa Mônica Clube de Campo, na presença do ministro do Esporte, George Hilton, é o quarto evento do gênero organizado pela CBC. O primeiro foi feito em dezembro, no Rio de Janeiro (RJ), quando os recursos foram descentralizados para o Clube de Regatas do Flamengo e para o Tijuca Tênis Clube. Duas cerimônias no mês passado contemplaram clubes de São Paulo (Paineiras do Morumby, Esperia, Athlético Paulistano e a Associação Desportiva Classista Mercedes-Benz) e de Minas Gerais (Minas Tênis Clube e Mackenzie Esporte Clube). Ao todo, 16 clubes com 22 projetos receberão os recursos, em diferentes estados, totalizando mais de 23 milhões.

Nosso objetivo é formar novas gerações de atletas olímpicos e paraolímpicos que venham a defender o Brasil nos próximos anos ou décadas, de modo que o país esteja entre as principais potências esportivas do mundo. Nos Jogos Olímpicos de 2016, a meta é ficar entre os primeiros, mas o maior desafio será manter esse crescimento no médio e no longo prazos, por isso a necessidade de investir permanentemente na formação e no desenvolvimento de novos talentos. O trabalho da CBC é essencial para essa sustentabilidade”, analisa o ministro George Hilton.

O trabalho da CBC

Desde o início de 2014, de acordo com a Portaria no 1/14 do Ministério do Esporte, a CBC passou a se estruturar e coordenar a distribuição dos recursos públicos para a formação de atletas olímpicos e paraolímpicos nos clubes esportivos sociais. Quanto aos projetos, a diretoria técnica é responsável por todas as fases da descentralização, desde a proposta de editais e suas fases para classificação na sequência, como também todas as fases do convênio – celebração, acompanhamento, fiscalização e prestação de contas.

A Nova Lei Pelé, como ficou conhecida, é uma grande conquista para o segmento clubístico, pois o montante do repasse (0,5% oriundos de concursos de prognósticos e loterias federais) será utilizado em projetos específicos para a formação de atletas olímpicos e paraolímpicos nos clubes”, explica Jair Pereira, presidente da CBC.

A CBC trabalha de forma constante e sistemática na representação e na defesa dos interesses dos clubes esportivos sociais, visando ao reconhecimento de sua importância na sociedade e criando condições favoráveis à evolução do segmento. Como entidade do Sistema Nacional do Esporte promove e aprimora as práticas desportivas de rendimento. Promove, ainda, eventos e atividades de aperfeiçoamento profissional dos que atuam nos clubes para uma melhor gestão.

Importância do clube esportivo social para o esporte no Brasil

Diferentemente do que acontece em outros países, como nos EUA, no Brasil o esporte não tem seu berço nas escolas. É o clube que desempenha o papel de formar e revelar talentos, principalmente no desenvolvimento de esportes de base. Nos Jogos Olímpicos de Pequim/2008, dos atletas brasileiros que participaram, 77% eram de clubes. Em Londres/2012 esse número subiu para 87%. Além disso, o clube é local de relações sociais, culturais, recreativas, de lazer e educativas.

Para saber mais, assista ao vídeo de Lars Grael, diretor técnico da CBC, no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=9Lv-AF1jGVc

 

Serviço

 

Data: 1º/04

Horário: 11h

Local: Salão Centro de Tradições Brasileiras (CTB), no Santa Mônica Clube de Campo

Endereço: Rodovia Regis Bittencourt (BR 116), Km 6, nº 5.000, Bairro Mauá, Colombo (PR)

 


Compartilhar
Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Google Plus

Leia Também





Cinco parques estaduais têm planos de manejo atualizados


Grupo GTFoods inicia exportação de frango tipo “Griller”


BRINK’S marca presença em evento global sobre ciclo de vida do dinheiro no Texas (EUA)


Leoni encerra temporada 2015 do “Trajeto Lumen Ao Vivo”



CFW Agência de Internet