Superinformado Notícias
Facebook
Twitter
Instagram

Adoção de africana por Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso gera debate

Na redes sociais, usuários criticaram busca de casal por criança estrangeira


sábado, 09/julho/2016
Adoção de africana por Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso gera debate

“Amor não tem endereço”. A frase foi usada pela atriz Giovanna Ewbank para responder aos questionamentos feitos em relação à adoção de Chissomo, sua filha de 2 anos com o ator Bruno Gagliasso, nascida no Malauí, na África. A discussão começou anteontem nas redes sociais, quando a adoção veio a público. Enquanto alguns argumentam que o ato é nobre e não deve ser restrito a fronteiras, outros defendem que no Brasil há muitos órfãos que precisam de um lar. O assunto gerou debate sobre a procura de brasileiros por crianças de fora do país entre especialistas da área.

Organizações ligadas ao tema argumentam que muitas vezes a decisão é motivada pela demora do processo no Brasil. Por outro lado,autoridades dizem que a agilidade do sistema internacional pode ser uma ilusão. Ambos, no entanto, concordam em um ponto: é direito dos pais recorrerem a outros países, mas isso deve ser feito em casos excepcionais.

Giovanna e Bruno adotaram a pequena “Titi”, como a menina é carinhosamente chamada, após idas constantes ao Malauí. A atriz teria se encantado com o país durante uma visita em 2015, para uma reportagem do “Domingão do Faustão”. Depois disso, Giovanna retornou à África com o marido. O casal chegou a procurar informações na Justiça carioca, mas como o Malauí não é signatário da Convenção de Haia, que estabelece normas para adoção internacional, o processo teve de ser feito no país de origem da criança, e teria demorado pouco mais de um ano. Procurado pelo GLOBO, o casal não quis comentar o caso.

— O processo no Brasil é moroso demais. Acredito que essa seja uma das razões para a busca internacional. O que falta para agilizar esse procedimento? As varas têm que ser equipadas com assistência social e psicológica. Não temos técnicos em número suficiente. Os processos ficam represados — critica Silvana do Monte, presidente da comissão de adoção do Instituto Brasileiro de Direito de Família (IBDFAM). — A morosidade excessiva está tirando das nossas crianças o direito de se tornarem filhos. A demora pode ser um dos motivos que leva casais a buscarem crianças de fora com tantas crianças aqui.

PROCESSO CRITERIOSO

O prazo de conclusão da adoção no país, no entanto, não deve ser visto como um obstáculo, de acordo com a secretária-executiva da Comissão Estadual Judiciária de Adoção Internacional do Rio (Cejai), Ludmilla de Azevedo Carvalho. Segundo ela, adotar fora do país também pode ser trabalhoso e trazer altos custos. Para ela, os pais devem ter o direito de escolha assegurado, mas é recomendado que optem por uma adoção estrangeira apenas em casos excepcionais.

— O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) prevê esse direito de adotar uma criança estrangeira. Mas isso não deve ser visto como uma opção à adoção nacional, são situações excepcionais. Temos muitas crianças aqui para adotar — afirma Ludmilla. — O que percebo quando me perguntam e mandam dúvidas é que as pessoas têm a fantasia de que é mais rápido e mais fácil. Mas pode ser muito mais demorado, caro e trabalhoso.

Além disso, a secretária-executiva da Cejai argumenta que, apesar de algumas dificuldades relacionadas à falta de pessoal, o processo de adoção precisa ter o tempo suficiente para garantir que seja feito de maneira criteriosa:

— Há críticas sobre a demora, mas tem que ser um processo criterioso. Às vezes esbarramos no problema da falta de profissionais, mas geralmente o tempo é aquele demandado pelo processo. É uma preparação, é necessário amadurecer esse desejo e estar habilitado — explica. — O tempo depende ainda do perfil que a pessoa pretende adotar. Um perfil mais amplo demora menos, mas caso optem por crianças menores, demora mais.

PUBLICIDADE

ADAPTAÇÃO À NOVA CULTURA

Uma pesquisa do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) divulgada no ano passado, a partir de dados de 2013, mostrou que os processos de adoção no país são mais céleres nas regiões Nordeste e Sudeste, mas podem chegar a mais de dois anos em outras regiões, como o Centro-Oeste e o Sul. Atualmente no Brasil existem ao menos 6.800 crianças disponíveis para adoção e cerca de 36.400 pretendentes estão cadastrados no sistema.

Os candidatos a uma adoção internacional devem levar em conta ainda a adaptação da criança ao novo país, considerando aspectos culturais e questões como o preconceito. A recomendação, feita pela juíza Mônica Arnoni, da Vara da Infância e Juventude da Capital, em São Paulo, é fundamental para garantir plenamente os direitos da criança.

— Para o desenvolvimento da criança é importante que ela tenha contato com a cultura na qual ela foi gerada. É necessário garantir que essa criança não se esqueça de sua origem, faz parte da história dela. Os pais não podem pensar que a vida da criança só começa com eles e têm que entender um pouco da questão do preconceito, lutar contra isso, e, de certa forma, se inserir na cultura africana, para que se possa preservar a história dela— analisa Mônica.

Fonte: O Globo

 


Compartilhar
Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Google Plus

Leia Também
Menino de 12 anos beija namorado em festa de aniversário e causa polêmica na internet

Ex-estagiário da Justiça Federal é solto após admitir acesso a processos de um dos maiores traficantes do país, diz PF

Viviane Araújo se prepara para fazer bonito mais um ano no carnaval

Chuva causa estragos em cidades da região central e dos Campos Gerais do Paraná


Policiais presos por participação na morte de casal tinham negócios com as vítimas

Policiais presos por participação na morte de casal tinham negócios com as vítimas


Criança destroi bancada de maquiagem da Sephora e causa prejuízo de R$ 4 mil

Criança destroi bancada de maquiagem da Sephora e causa prejuízo de R$ 4 mil


Modelo Sarah Britto mostra corpão a beira da piscina e leva os fãs à loucura

Modelo Sarah Britto mostra corpão a beira da piscina e leva os fãs à loucura


Faculdade Guairacá realiza teste seletivo para contratação de professores para o curso de Odontologia

Faculdade Guairacá realiza teste seletivo para contratação de professores para o curso de Odontologia