Superinformado Notícias
Facebook
Twitter
Instagram

Cartões ‘premium’ cortam anuidade para segurar cliente

Menor oferta de crédito e cartões sem anuidade alteram a dinâmica de preços dos cartões. Os “premium” estão mais baratos, mas entre os líderes o custo aumentou


segunda-feira, 17/julho/2017
Cartões ‘premium’ cortam anuidade para segurar cliente

As opções sem anuidade de cartões de crédito começaram a mostrar a que vieram e causaram um movimento de corte nas tarifas no segmento de clientes com renda mais alta. Por outro lado, a taxa média subiu para Mastercard e Visa, bandeiras mais usadas.

Segundo dados do Banco Central, o valor médio das taxas de anuidade cobradas em cartões com bandeira American Express caiu quase 26% no último trimestre de 2016 na comparação com o mesmo período de 2015, passando de R$ 82,07 para R$ 60,76. No caso da bandeira Diners Club, a tarifa média recuou 7%, indo de R$ 166,68 para R$ 154,17 no mesmo período.

Os dados refletem uma estratégia para segurar o cliente de alta renda, explica o economista Maurício Godoy, professor da escola de negócios Saint Paul. “Com os bancos dando menos crédito, esses clientes passaram a ser mais disputados.”

No caso dos cartões de bandeira Elo, o corte de quase 35% na taxa média de anuidade pode ser explicado por outra estratégia para conquistar consumidores. Os valores, segundo o BC, passaram de R$ 71,50 em 2015 para R$ 46,61 em 2016. “Eles concorrem com empresas gigantes e diminuíram a tarifa para conseguir entrar nesse mercado”, explica Godoy.

Movimento

Nas líderes do mercado, no entanto, o movimento foi o inverso. Na Mastercard, bandeira de 47% dos cartões de crédito ativos no Brasil, a tarifa passou de R$ 134,69 em 2015 para R$ 142,82 em 2016 – um aumento de 6%. Na Visa, marca estampada em 42% dos cartões de crédito no País, a anuidade média cresceu 2,45%, passando de R$ 113,31 em 2015 para R$ 116,09 em 2016.

A explicação, segundo Godoy, é a maior oferta de serviços e benefícios para o consumidor, como o acúmulo de pontos para a troca por passagens aéreas e descontos em atividades culturais, por exemplo. “O preço da anuidade varia muito de acordo com o tipo de serviço prestado por quem emitiu o cartão. Quanto mais benefícios oferecidos, mais cara essa taxa tende a ser”, explica.

Além disso, como o negócio de cartões sem anuidade é menos lucrativo, os emissores tendem a subir tarifas para os pagantes para fazer a conta fechar. “A anuidade é uma das principais fontes de receita dessas empresas e, assim como os juros, acaba sendo utilizada para calibrar a política comercial dos emissores”, diz Marcelo Prata, fundador da plataforma Canal do Crédito.

A taxa, explica Prata, é uma forma de ampliar ou reduzir o crescimento de determinado perfil de cliente sem negar o serviço. Assim, com o aumento do desemprego e da inadimplência, quem tem renda menor viu o aumento dessa tarifa, ou a restrição do limite de crédito ou até mesmo teve um pedido de emissão rejeitado.

O que aconteceu com os cartões de bandeira Hipercard é um exemplo dessa calibragem. Entre 2015 e 2016, a tarifa média da anuidade cresceu 13,6%, indo de R$ 121,69 para R$ 138,25. O Itaú, que deixou de comercializar cartões Hiper este ano, diz que levou em consideração a inflação do período, a dinâmica do mercado e a característica do produto para reajustar a taxa.

 

Gazeta do Povo


Compartilhar
Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Google Plus

Leia Também
Filha de Raul Seixas participa de homenagem em SP no aniversário da morte do pai

Loft cosmopolita preza pelo bem-estar e incita a criatividade

Hackers anunciaram o vazamento do season finale de ‘Game of Thrones’

Jerry Lewis: veja repercussão da morte do ator


Monalysa Alcântara, do Piauí, é eleita Miss Brasil 2017

Monalysa Alcântara, do Piauí, é eleita Miss Brasil 2017


Achados ossos em destroços de barco holandês naufragado no século 18

Achados ossos em destroços de barco holandês naufragado no século 18


Notícia falsa envolve nome de diretor do Fantástico, da Globo

Notícia falsa envolve nome de diretor do Fantástico, da Globo


Dado Dolabella é preso por não pagar pensão alimentícia

Dado Dolabella é preso por não pagar pensão alimentícia



CFW Agência de Internet