Superinformado Notícias
Facebook
Twitter
Instagram

Acadêmicos vão realizar projetos em propriedades

Produtores interessados devem fazer a inscrição até o dia 22 de setembro, no Sindicato Rural de Guarapuava


terça-feira, 12/setembro/2017
Acadêmicos vão realizar projetos em propriedades

Os acadêmicos da disciplina de Forragicultura do Curso de Agronomia da Unicentro  pretendem realizar, entre final de setembro e início de dezembro, uma atividade acadêmica que promete ser interessante tanto para eles quanto para produtores rurais: divididos em grupos, os estudantes querem elaborar projetos de melhoramento pecuário em propriedades rurais reais. O foco é propor um planejamento alimentar para os plantéis (forragem, silagem e/ou ração), visando superar gargalos e/ou elevar produtividade.

Responsável pela disciplina, o professor doutor Sebastião Brasil explicou que elaborar projetos para alavancar a pecuária, partindo de casos reais, é um trabalho que levará os futuros agrônomos a campo, colocando-os em contato com produtores e face a face com a realidade que encontrarão em suas vidas profissionais.

Ao divulgar a ideia na segunda-feira (11), ele destacou que a proposta também precisa do apoio dos próprios produtores rurais, abrindo suas portas para a atividade. A participação, frisou, é gratuita e podem ser analisadas fazendas voltadas às mais diversas formas de pecuária: “Do gado de corte ao de leite, passando pela ovinocultura e até a criação de cavalos”, detalhou. Além disso, completou, ao final do trabalho, cada grupo de estudantes entregará ao produtor visitado o seu projeto – um diagnóstico do que precisará ser feito para melhorar a produção.

Mas Sebastião Brasil também chamou a atenção para o prazo: segundo estima, para que os alunos tenham tempo de realizar os projetos, é preciso encontrar, até o próximo dia 22 de setembro, cinco propriedades de Guarapuava e região dispostas a participar.

Aos agropecuaristas interessados, ele lembra que devem dirigir-se ao Sindicato Rural de Guarapuava, entidade que está apoiando a ideia.

Ainda de acordo com o professor, para os produtores, é importante analisar o sistema produtivo, considerando como está sendo feita a alimentação dos animais e os resultados. “Às vezes, o produtor têm 150 animais numa área que comportaria 50. Ou o contrário”, exemplificou. Como o projeto dos alunos abrangerá, ao lado da nutrição, a propriedade como um todo, incluindo a rentabilidade das outras atividades, como lavoura ou floresta, Sebastião Brasil vê que, ao participar e receber depois o projeto, o produtor também acaba se voltando para uma visão de longo prazo (outras informações: 42 3623 1115).


Compartilhar
Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Google Plus

Leia Também
V Feira Regional da Agroindústria Familiar movimenta mais de R$ 180 mil em Guarapuava

IBGE estima queda de 8,9% na safra de grãos em 2018

Projeto do USF ensina a fazer geleias de morango e fisális

Rússia aumenta restrições à carne importada do Brasil


Em Guarapuava, comissão elege desenho para logomarca da APA Serra da Esperança

Em Guarapuava, comissão elege desenho para logomarca da APA Serra da Esperança


Testes de ONG mostram que 36% dos alimentos têm agrotóxicos acima do limite ou proibidos

Testes de ONG mostram que 36% dos alimentos têm agrotóxicos acima do limite ou proibidos


Governo do Paraná regulamenta manejo da bracatinga

Governo do Paraná regulamenta manejo da bracatinga


Saúde interdita comércio de moluscos de Santa Catarina

Saúde interdita comércio de moluscos de Santa Catarina