Superinformado Notícias
Facebook
Twitter
Instagram

ASAS derruba umidade para 9%, promove geada e frio radiativo no Sudeste e Sul do Brasil. Frio pode aumentar no final de semana

O órgão prevê o enfraquecimento momentâneo da ASAS entre sexta-feira (30) e sábado (01), com chuva pontual em parte da Região Sul, apenas.


segunda-feira, 26/junho/2017
ASAS derruba umidade para 9%, promove geada e frio radiativo no Sudeste e Sul do Brasil. Frio pode aumentar no final de semana

A atuação da Alta Subtropical do Atlântico Sul (ASAS) tem permitido o registro de madrugadas ligeiramente mais frias em boa parte da faixa leste do Brasil, o que inclui estados do Sudeste e Sul, principalmente.

Na madrugada desta segunda-feira (26), o sistema, cujo núcleo está posicionado sobre o Oceano Atlântico, na altura do Rio Grande do Sul, porém, bem afastado da costa, lançou uma pista de ventos úmidos e que provocaram precipitação em municípios da faixa leste da Região Sul, incluindo áreas de Curitiba, no Paraná e Florianópolis, em Santa Catarina. Dado o relevo, a umidade não consegue transpor a serra do mar e fica retira no litoral mantendo a chuva de origem orográfica.

Também houve registro de precipitação fraca em áreas do Sudeste, como nos estados do Espírito Santo e Rio de Janeiro, além do litoral da Bahia, onde acumulados superaram 30 milímetros no município de Porto Seguro, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Enquanto áreas próximas do litoral seguem mais nubladas ou mais úmidas, no interior, o vento da ASAS é totalmente seco e faz com que a umidade relativa do ar despenque durante as tardes. Nesta segunda-feira, por exemplo, vários municípios registraram índices inferiores a 30%, o que evidencia o “estágio de atenção”, de acordo com normas da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Os municípios de Bom Jardim da Serra e São Joaquim, ambos no sul de Santa Catarina, registraram em estações meteorológicas automáticas do Inmet, os menores índices de umidade relativa do ar desta segunda-feira de todo o Brasil, com 9% e 10%, respectivamente, valor considerado como “estágio de emergência” pela OMS, por oferecer riscos à saúde humana.

O frio radiativo, ou seja, causado pela ausência de radiação solar acumulada em superfície, foi intenso e proporcionou a formação de geada em áreas de Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e São Paulo, mas em áreas de baixada, como fundo de vales, por exemplo.

Estações automáticas mantidas pelo Inmet registraram valores de temperatura mínima abaixo de 5°C de:

1,9°C em Camanducaia, MG
3,1°C em Caldas, MG
3,5°C em Campos do Jordão, SP
3,8°C em Maria da Fé, MG
4,1°C em Cambará do Sul, RS
4,8°C em Major Vieira, SC
4,9°C em Nova Friburgo, RJJ

Em Resende, no sudoeste do estado do Rio de Janeiro, a estação meteorológica automática, mantida pelo fórum de discussões meteorológicas Brasil Abaixo de Zero (BAZ), havia registrado temperatura mínima do dia de 5,4°C às 6h21min (Brasília). Mas, devido ao ar relativamente seco e mais frio promovido pelo posicionamento da ASAS, o valor despencou para -4,1°C às 20h23min continuando em queda livre.

A carta sinótica sobre o nível de 850 hPa (1.500 metros de altitude) elaborada pelo Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Cptec/Inpe) mostrou a área de atuação da ASAS, que também exerce a função de bloqueio atmosférico impedindo a chegada de frentes frias.

O órgão prevê o enfraquecimento momentâneo da ASAS entre sexta-feira (30) e sábado (01), com chuva pontual em parte da Região Sul, apenas.

Este padrão de circulação permanecerá configurado ao longo da semana e, com isso, as condições de tempo na maior parte do Brasil seguirão inalteradas. A tendência é que apenas a partir da sexta-feira (30/06) um sistema frontal consiga romper essa barreira e favorece a precipitação, ainda que de forma pontual, em grande parte da Região Sul entre a sexta-feira (30/06) e o sábado (01/07).

A simulação de temperatura sobre o nível de 850 hPa (1.500 metros de altitude) feita pelo modelo europeu ECMWF indica o deslocamento de outro anticiclone, com ar polar embutido e com trajetória marítima, o que levaria à queda de temperatura acentuada nos próximos dias no leste das Regiões Sudeste e Sul e com a pista de ventos chegando ao interior do Nordeste, até o sul do estado do Ceará. Por ter trajetória marítima, desta vez, o ar polar não avançará pelo Centro-Oeste e Norte.

(Crédito das imagens: Reprodução/Google – Reprodução/Cptec/Inpe – Reprodução/Inmet – Reprodução/Weather Underground – Reprodução/Tropical TidBits – Mycchel Hudsonn Leganaghi/São Joaquim Online via WhatsApp DONTM (18) 99681-1555)

(Fonte da informação: De Olho No Tempo Meteorologia)


Compartilhar
Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Google Plus

Leia Também
Israel descobre parte oculta do Muro das Lamentações

Após cobrança por bagagem, preço das passagens aéreas sobe no país

Grupo Pão de Açúcar deve converter mais 9 lojas Extra em Assaí

Restituição do Imposto de Renda dá R$ 2,8 bi a 2,3 milhões de contribuintes


Apostador do ES fatura prêmio de R$ 5,8 milhões na Mega-Sena

Apostador do ES fatura prêmio de R$ 5,8 milhões na Mega-Sena


Horário de verão 2017 começa hoje a meia-noite

Horário de verão 2017 começa hoje a meia-noite


Quatro anos após os primeiros leilões feito pelo governo Dilma, só 17% das estradas foram duplicadas

Quatro anos após os primeiros leilões feito pelo governo Dilma, só 17% das estradas foram duplicadas


STF decide que parlamentar não pode ser afastado sem aval do Congresso

STF decide que parlamentar não pode ser afastado sem aval do Congresso