Superinformado Notícias
Facebook
Twitter
Instagram

Diabéticos vão à Justiça por bombas de insulina


terça-feira, 24/março/2015
Diabéticos vão à Justiça por bombas de insulina

Diabéticos com dificuldade para conseguir controlar a doença com os métodos convencionais e gratuitos têm recorrido à Justiça no Paraná para tentar reverter a situação. A demanda é por um tratamento mais moderno, com o uso de bombas de insulina. O equipamento serve para injetar, em pequenas e contínuas doses, os medicamentos essenciais para a saúde dos diabéticos do tipo 1. Porém, a tecnologia não está disponível pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Um dos motivos é o preço: uma bomba custa de R$ 12 mil a R$ 15 mil e há ainda gastos mensais com insumos e manutenção.

Entre os 227 pacientes do Paraná com decisões judiciais favoráveis para usar o equipamento pago pelo estado está Adriana dos Santos Marian, 39 anos. Ela recebeu a reportagem em casa no dia do seu aniversário – sem bolo. O verdadeiro presente, no entanto, foi não ter mais os desmaios e convulsões frequentes. “Hoje estou muito feliz. Após o uso da bomba eu consegui ter uma boa melhora do meu quadro clínico de uma forma geral”, avalia. Com a dificuldade para manter os níveis de glicose em uma média aceitável desde o nascimento, Adriana estava praticamente cega por causa do rompimento de vasos sanguíneos no olho. Após o início do tratamento com a bomba, em 2008, ela voltou a ter a visão parcial em um olho, o que lhe permite ajustar o aparelho com a ajuda de uma lupa. Ela também festeja o fato de ter conseguido realizar, há três anos, o sonho de ser mãe.

Ações

“O paciente diabético precisa disso [bomba de insulina]. O ideal seria que todos usassem. Não existe essa de um precisa de mais, outro precisa de menos”, diz o advogado Ney Brandão, que ingressou com cerca de 200 ações na Justiça pedindo o equipamento, incluindo o pedido de Adriana. Brandão também é diabético. Ele convive há 28 anos com a doença e usa a bomba de insulina desde 2000. “Não quero julgar nem o poder judiciário e nem o estado. Essa doença não é brincadeira, ela mata e exige um tratamento melhor do que o SUS está proporcionando”, completa.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou, via assessoria de imprensa, que as bombas de insulina não estão padronizadas na lista do SUS como equipamentos disponíveis aos pacientes. O órgão confirmou que 227 pacientes usam o equipamento no estado custeados pelos cofres públicos por decisão judicial. A Procuradoria Geral da União (PGU), por sua vez, informa que 455 pedidos relacionados a pacientes diabéticos foram feitos diretamente à União em 2014, mas nem todos são pedidos de bombas de insulina.

 

Gazeta do Povo


Compartilhar
Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Compartilhe no Google Plus

Leia Também
Promotoria de Matinhos abre investigação contra vereador

Homem Aranha tem fantasia furtada e faz apelo ao assaltante

Prefeito Cesar Silvestri Filho palestrará em evento internacional

Cristina Silvestri propõe que proprietários de bicicletas tenham número de série na NF


Prefeito em exercício, Itacir Vezzaro acompanha inauguração de ampliação de Clínica Veterinária da Unicentro

Prefeito em exercício, Itacir Vezzaro acompanha inauguração de ampliação de Clínica Veterinária da Unicentro


Prefeito de Matinhos desabafa e chama os vereadores de bandidos

Prefeito de Matinhos desabafa e chama os vereadores de bandidos


Quatro morrem durante tocaia em Pinhão

Quatro morrem durante tocaia em Pinhão


Esquema ilegal de liberação de alvarás é desarticulado pelo Gaeco

Esquema ilegal de liberação de alvarás é desarticulado pelo Gaeco



CFW Agência de Internet